Transa nos degraus do Copan custa R$ 678 a inquilina

Quanto vale uma transa? Nas escadarias de um dos edifícios mais populosos do Brasil, o Copan, custou R$ 678.

Esse é o valor da multa que a administração do prédio, um dos cartões-postais paulistanos, emitiu ao proprietário de um apartamento do bloco E, ocupado por imóveis de um quarto e quitinetes. O apê estava alugado. A inquilina emprestou o imóvel para uma amiga do Rio de Janeiro. Esta recebeu um casal de visitantes. Os dois se identificaram na portaria do edifício e pegaram o elevador.

Câmeras de segurança flagraram a saída deles, que, no lugar de seguirem em direção ao apartamento, mudaram de rumo: foram para as escadas externas de acesso ao terraço.

Desconfiado, o segurança resolveu ir atrás. Encontrou os dois lá no alto bem na “hora H”. As câmeras pegaram o casal arrumando as roupas. Para tentar minimizar o estrago na conta bancária, a garota da escada criou uma página chamada “peripécias no Copan”, no site Vakinha. Como o próprio nome indica, o vakinha.com.br é usado por internautas para levantar uma grana para as mais variadas causas. Nele, a carioca se identifica com o nome fictício de Alana Milesi, 25. Escreveu: “Aprontei um pouco demais da conta e acabei recebendo uma multa de R$ 678 por transar no último andar do Copan. Agora quero ver vocês pingarem e ajudarem uma amiga que foi penalizada pelo universo apenas pelo fato de ser ‘transona'”.

Fonte: Redação / Folha de SP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS