A história da capoeira começa no século XVI, na época em que o Brasil era colônia de Portugal.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
CAPOEIRA NA BAHIA

A mão de obra escrava africana foi muito utilizada no Brasil, principalmente nos engenhos (fazendas produtoras de açúcar) do nordeste brasileiro. Muitos destes escravos vinham da região de Angola, também colônia portuguesa.

Os angolanos, na África, faziam muitas danças ao som de músicas.

A tão conhecida Capoeira, que é vista nas ruas e ladeiras de Salvador, tem a sua história relacionada à opressão e cultura. Assim surge essa dança ou arte marcial, como queiram chamar.

A escravidão no Brasil teve inicio por volta de 1538 e com a vinda desses africanos os costumes trazidos na bagagem eram uma forma de minimizar o sofrimento no Novo Mundo.

Os rituais religiosos e danças comemorativas feitas na terra natal já mostravam os primeiros passos que iriam culminar na Capoeira.

O surgimento real dela acontece logo depois das primeiras fugas de escravos. Dessa forma, os fugitivos necessitavam de algo que os defendesse e lhes desse a habilidade de atacar os “capitães-do-mato”.

E com movimentos de ginga, saltos e chutes a antes dança comemorativa ganha caráter de luta.

A eficácia da capoeira veio em forma de vitória nas diversas batalhas, seja em relação à opressão social da época ou em Guerras como a do Paraguai.

O nome mundialmente conhecido tem origem nas “capoeiras”, ou terrenos que tiveram o mato queimado e apresentam a sua vegetação crescente.

E eram nesses espaços que os escravos tinha condições favoráveis na hora de lutar em prol da liberdade e da vida.

A Capoeira teve tanta influência na época da escravidão e nos anos que seguiram após a abolição, que chegou a ser proibida sob pena de prisão ou até deportação. Sendo os seus praticantes considerados desocupados e desordeiros.

A diversidade existente na Bahia também está inserida na capoeira, que possui 3 variações de estilos de luta, musicas e cantos.

O primeiro estilo da capoeira surge junto com seu desenvolvimento durante a escravidão.

A capoeira Angola, como é conhecida, corresponde a uma das características da cultura africana Bantu, que são alguns de seus rituais religiosos.

O jogo de capoeira Angola é recheado de sagacidade, mandinga e elegância de movimentos que seguem o ritmo tocado pela orquestra. Um dos mestres mais conhecidos da capoeira Angola era  Vicente Ferreira Pastinha – o Mestre Pastinha.

Discípulo do mestre africano Benedito, Pastinha dedicou sua vida aos ensinamentos da capoeira em sua academia no Pelourinho (Centro Esportivo de Capoeira Angola), se dedicou, sobretudo a desfazer o preconceito em relação a capoeira incrustado na sociedade.

Na década de 30 aqui na Bahia, Manoel dos Reis Machado – o Mestre Bimba – após 14 anos cercado com os ensinamentos da capoeira Angola, tendo em vista as falhas desta modalidade, decide criar a Luta Regional Baiana.

E hoje a conhecida Capoeira Regional é uma linha aperfeiçoada da capoeira Angola, com cerca de 52 golpes.

Foi o mestre Bimba que através na sua nova linha de ensino da capoeira, conseguiu incluir mulheres e posteriormente pessoas brancas e de outras classes sociais.

Ele também exigia que os seus capoeiras estivessem trabalhando ou estudando, exigiu até que todos jogassem com uniforme branco, como forma de higiene.

A trajetória da Capoeira mostra que ela foi mais uma forma dos escravos e seus descendentes afirmarem sua identidade e cultura numa sociedade preconceituosa.

O mais novo Patrimônio Cultural Brasileiro é praticado nas ruas do Centro Histórico de Salvador, onde existem diversas academias, bem como na tradicional roda de capoeira no Mercado Modelo e em todo o resto da cidade existe uma academia ou um grupo de capoeira esperando de braços abertos os novos e velhos adeptos.

Três estilos da capoeira

A capoeira possui três estilos que se diferenciam nos movimentos e no ritmo musical de acompanhamento.

 Capoeira com estilo mais antigo

O estilo mais antigo, criado na época da escravidão, é a capoeira angola. As principais características deste estilo são: ritmo musical lento, golpes jogados mais baixos (próximos ao solo) e muita malícia.

 Capoeira com estilo regional

O estilo regional, criado por Mestre Bimba, caracteriza-se pela mistura da malícia da capoeira angola com o jogo rápido de movimentos, ao som do berimbau.

Os golpes são rápidos e secos, sendo que as acrobacias não são utilizadas.

 Capoeira com estilo contemporâneo

Já o terceiro tipo de capoeira é o contemporâneo, que une um pouco dos dois primeiros estilos. Este último estilo de capoeira é o mais praticado na atualidade. Porém é importante ressaltar que capoeira é uma só, a Capoeira de Angola, considerada a mãe dos outros estilos e mais próxima da capoeira jogada pelos escravos africanos.

Reportagem especial cljornal

 

OUTRAS NOTÍCIAS