Tempo - Tutiempo.net

Bolsonaro: apêndice político a ser extirpado para preservar a saúde da nação brasileira/ Por Sérgio Jones

O que a Besta presidencial Jair Bolsonaro diz não se escreve, o que significa que não merece crédito.

Nesta segunda-feira (26), durante o ato cerimonial de inauguração de um ridículo trecho de 22 quilômetros de extensão da BR-101 na Bahia.

Ato que talvez se explique devido ao fato de que, durante dois anos longos de tenebroso governo, não tenha uma única obra de impacto construída ou até mesmo iniciada.

Como já era esperado, o acéfalo e genocida presidente demonstrou sua preocupação não com as mortes de milhares de brasileiros que direta ou indiretamente tem sido ele, o principal responsável ao adotar uma postura negacionista para com a pandemia.

Como sempre, voltou a eleger bodes expiatórios transferindo responsabilidades ao acusar irresponsavelmente governadores e prefeitos que, em tese, estariam usando o vírus para “subjugar” a população.

Mas como já se tornou regra e não exceção, além das proferidas bobagens, dirigindo-se aos presentes disse: “Àqueles que criticaram os cortes no Orçamento”. Que a medida foi adotada por “questão técnica”.

O curioso é que se perguntado o que significa o termo, ele não saberá explicar.

“Com toda certeza, brevemente e pelas vias legais faremos a devida recomposição do nosso Orçamento, porque o Brasil não pode mais parar”.

Esqueceu de ressaltar que o Brasil não só parou como também vem regredindo desde a data fatídica em que, equivocada parcela da população resolveu, estupidamente, referendar o nome da patética figura de Jair Bolsonaro para presidente.

“Está chegando a hora, pessoal. Está chegando a hora de o Brasil dar um novo grito de independência porque não podemos admitir que pseudos governadores queiram impor a ditadura no meio de vocês, usando o vírus para subjugá-los”.

Tais palavras seriam cômicas se não fossem trágicas. Nessa citação pelo menos ele deixa transparecer uma única verdade, o Brasil grita e geme de desespero diante da realidade surrealista em que se encontra.

“Eu sempre disse que, além do vírus, tínhamos de nos preocupar com a questão do desemprego. Não foi o governo federal que obrigou vocês a ficarem em casa. Não foi o governo federal que fechou o comércio. Não foi o governo federal quem destruiu milhões de empregos”.

Como não? Você e seus muares é que estão obstruindo o crescimento e, literalmente desmontando o país.

Mas como o próprio mandatário salientou, o suplício do povo brasileiro está chegando ao fim, mas por outras vias e o calendário já possui até data marcada, embora até o presente momento indefinida, isso deverá acontecer em 02 de outubro de 2022.

A partir dessa data o Brasil deverá retornar à sua normalidade ao não referendar o nome da Besta, nas urnas.

Afastando em definitivo a presença dessa criatura das trevas que tanto mal tem causado a nação e ao povo brasileiro, com a sua nefasta presença no poder.

A sua presença dele e de sua caterva no governo se transformou em um apêndice histórico que, por sua vez, progrediu de forma direta e inquestionável para o surgimento de um câncer maligno. Resultando em uma metástase que se espalhou de forma deletéria em todo frágil tecido social, que reveste a nação.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS