Tempo - Tutiempo.net

Bolsonaro relaciona porte de armas à ‘preservação da nossa democracia’

Durante o evento de inauguração da duplicação na BR-101 e conclusão de acessos à ponte sobre o Rio São Francisco, em Sergipe, o presidente Jair Bolsonaro (PL) falou novamente sobre garantias inconstitucionais para, eventualmente, “preservar a democracia”.

“Nós defendemos o armamento para o cidadão de bem porque entendemos que arma de fogo, além de uma segurança pessoal para as famílias, também é a segurança para nossa soberania nacional e, a garantia de que a nossa democracia será preservada”, disse o mandatário.

“Não interessam os meios que, por ventura, um dia tenhamos que usar. A nossa democracia e a nossa liberdade são inegociáveis”, continuou o chefe do Executivo.

Uma das promessas carro-chefe de Bolsonaro em sua campanha eleitoral era a garantia da “liberdade” do povo brasileiro por meio de armas de fogo.

Ele também costuma afirmar que “a liberdade vale mais que a própria vida”, principalmente quando se refere a decisões e pautas do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na última semana, o mandatário fez um discurso no mesmo sentido, do que poderia acontecer com “marginais em gabinetes [que] fustigam a liberdade do povo”.

“Nós, pessoas de bem, civis e militares, precisamos de todos para garantir a nossa liberdade. Porque os marginais do passado usam, hoje, de outras armas, também em gabinetes com ar-condicionado, visando roubar a nossa liberdade”, declarou o presidente.

“E começam roubando a nossa liberdade de expressão, começam fustigando as pessoas de bem, fazendo com que eles desistam do seu propósito. Nós, Forças Armadas, nós, forças auxiliares, não deixaremos que isso aconteça”, acrescentou.

IG

fascista pregando liberdade, a liberdadse que ele diga apenas aos seus. “O diuabo pregandso Quaresma”. Não dê a mão para satanás.

cljornal

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS