Candidatos a vereador em Feira se beneficiaram do auxílio emergencial/ Por Sérgio Jones

Lamentável o comportamento adotado por parte de alguns brasileiros quando se trata do requesito honestidade. Justamente são essas pessoas que se apresentam como probas e não são, que buscam atuar como político.

A uma semana das eleições municipais, o Tribunal de Contas da União (TCU) divulgou levantamento que aponta 3,8 candidatos, em todo o país, ao pleito de 2020 e que receberam parcela do auxílio emergencial residual de forma irregular.

O que mais chama a atenção é que são pessoas com patrimônio declarado à Justiça Eleitoral superior a R$300 mil e que não poderiam receber o benefício, segundo a Medida Provisória que o instituiu. E são justamente pessoas desse nível que buscam descaradamente, atuarem na política.

Reforçando a velha e sempre precisa máxima: O poder é sempre perigoso, atrai o pior e corrompe o melhor. Esses seres execráveis é que buscam concorrer a cargos de vereador, prefeito e vice no próximo dia 15.

Despacho assinado nesta sexta-feira (06/11), o ministro Bruno Dantas tornou público a lista elaborada pelo TCU do Estado da Bahia. Nele são revelados os nomes de 10 candidatos a vereador de Feira de Santana:

DILMARA RIOS CARIBE (PSL) – Declarou R$ 640 mil de patrimônio; BERNADETH ALVES DA SILVA (AVANTE) – Declarou R$ 600 mil de patrimônio; HULDA DE LIMA BARROS (PSB) – Declarou R$ 559 mil de patrimônio; UÉLITON GOMES DOS SANTOS (PSOL) Declarou R$ 450 mil de patrimônio; HERVAL PEDREIRA DA SILVA JUNIOR (PSC) Declarou R$ 377 mil de patrimônio; ALEXSANDRO RIBEIRO MARQUES (PTB) Declarou R$ 325 mil de patrimônio; LEANDRO FREIRE RIBEIRO (PATRIOTA) Declarou R$ 324 mil de patrimônio; ANA LUCIA COSTA DA SILVA (PSOL) Declarou R$ 300 mil de patrimônio; ANTONIO RENILDO BRITO DOS SANTOS (PSDB) Declarou R$ 300 mil de patrimônio; JACINEIDE MIRANDA (CIDADANIA) Declarou R$ 300 mil de patrimônio.

Destaque especial para o ex-vereador Renildo Brito, por ser ele o mais conhecido. De acordo com a justiça, ele fez a solicitação do auxílio através do aplicativo da Caixa e teve o pagamento bloqueado após solicitação do TCU. Brito declarou patrimônio de R$ 300 mil.

A denúncia foi feita, o que se espera é que os infratores sejam regiamente punidos, sendo impedidos de participar do pleito não só de 2020, como dos próximos.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS