Tempo - Tutiempo.net

Colbert ameaça deixar a política não para entrar para a história, mas para curtir a ‘dolce Vitta’ / Por Sérgio Jones

Colbert Filho: plano do dinheiro da gente

O que parte da mídia tupiniquim de Feira de Santana ainda não entendeu, não sei se por conveniência, é o porquê do prefeito de direito e não de fato, Colbert Filho (MDB), não ter dado o ‘sinal verde’, com relação se haverá ou não a realização de uma das comemorações mais badaladas do calendário do festivo do povo brasileiro, em especial do nordestino, o São João.

Enquanto isso não acontece, a situação já foi transformada em piada no seio da população. Que alega que ele não deu o sinal verde pelo simples fato de sofrer de uma espécie de problema conhecida pela ciência como Mutação Genética.

O que faz com que a cor verde gere dificuldades de ser identificada por ele, o daltônico. Exceto, quando as verdinhas, em questão, se apresentam em formato de dinheiro. Nesse caso em especial acontece um milagre, e ele consegue suplantar essa aparente deficiência.

No que concerne a questão de seu posicionamento no espectro político baiano, após anúncio do MDB da Bahia de que vai apoiar a candidatura do o professor Jerônimo Rodrigues (PT) a governador, ficando a legenda com a vaga de vice, indicando o vereador por Salvador, Geraldo Júnior. O prefeito abandona a sua costumeira imobilidade política e adiantou que manterá o apoio ao candidato ACM Neto.

Procurando justificar o injustificável, alega ele as suas aparentes razões: “Não fui consultado. E quem me ajudou na eleição foi ACM Neto. O PT tem é muitos processos contra mim, não posso apoiá-lo”.

Não é a primeira e nem será a última que Colbert Filho assume a postura de traidor e rompe com os seus princípios morais, se é que ele teve algum ao longo de sua existência.

A primeira vítima de seu ato abominável foi o seu próprio pai, Colbert Martins. Ao romper frontalmente com a memória e o legado político deixado por ele.
Dando sequência em suas ações pouco ou nada aceitáveis, Colbert Filho partiu para a campanha solo, tendo como objetivo único atender a sua ganância e a volúpia que o dinheiro exerce sobre ele.

Com as burras cheias, declara sua intenção de deixar o campo e as lides políticas para desfrutar de sua Dolce Vitta. Este sido o pensamento manifesto e o que é expressado verbalmente, pelo povo feirense.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS