Tempo - Tutiempo.net

Colbert vive à caça de bodes expiatórios na tentativa de justificar sua gestão catastrófica/ Por Sérgio Jones

Colbert o perseguido

Leitos de enfermaria e Unidades de Terapia Intensiva (UTI), tanto na rede pública e privada, incluindo a recém-inaugurada unidade hospitalar Dr. Benício Cunha Cavalcante, em Feira de Santana, estão totalmente ocupadas.

O comunicado foi feito pelo prefeito de direito e não de fato Colbert Filho (MDB), durante coletiva de imprensa virtual ocorrida na segunda-feira (24).

Sempre na busca de bodes-expiatórios na tentativa de justificar ou atribuir a culpa de sua gestão administrativa desastrosa, adiantou que o aumento das internações está diretamente associado ao contágio durante as comemorações no Dia das Mães.

Sem mencionar que o deficiente sistema de transporte coletivo da cidade tem contribuído de forma sistemática para a elevação dessa triste estatística.

Entre outras medidas adotadas em sua operação sanfona que abre e fecha o comércio ao sabor dos interesses do empresariado local.

“Não adianta abrir leitos quando a população não se cuida. Por isso fica o alerta: mesmo vacinado, é preciso usar máscara e respeitar o distanciamento social. Nada de festas, nada de aglomeração”, o lero-lero de sempre.

Utilizando o argumento de que a vacina é a forma mais eficaz para imunizar e reduzir as complicações provocadas pelo vírus, o misto de médico e político não perdeu a oportunidade para reclamar do repasse das doses destinadas pelo governo do Estado, para o município de Feira de Santana. Que segundo ele não tem obedecido o devido princípio da proporcionalidade.

Em vez de buscar soluções efetivas para solucionar o problema, fica simplesmente se lamuriando como se isso fosse modificar a situação. Não sai do seu imobilismo político, e continua se lamentado e se colocando no papel de vítima, principalmente quando entrevistado pela mídia local.

“Vemos como exemplo a cidade de Alagoinhas, que com pouco mais de 150 mil habitantes recebeu 5.850 doses da vacina Pfizer, isso representa 3,84% da população. Enquanto Feira de Santana com mais de 600 mil habitantes recebeu apenas 7.350 doses, que representa 1,18% da população.

É totalmente desproporcional, precisamos de uma distribuição justa. Precisamos receber mais doses”, continua com o choro e lamentos.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS