Tempo - Tutiempo.net

Declaração do vereador Lulinha é inaceitável e merece o repúdio de todos nós/ Por Sérgio Jones

Vereador Lulinha, também conhecido compo papagaio de pirata

A postura adotada por sua excelência o vereador Lulinha (DEM), com relação ao acidente ocorrido na Escola Municipal Santo Expedito, no bairro Lagoa do Subaé, em que duas crianças ficaram feridas por estilhaços provocados por reparos que eram feitos no teto da escola.

Não pegou bem a declaração infeliz feita por ele ao afirmar não precisava de tanto alarde da Comissão de Educação, que terminou mais cedo a sessão para que os membros da comissão fossem ao local.

O discurso foi feito nesta quarta-feira (13), na Câmara Municipal de Feira de Santana.

Concordo com a fala do legislador, afinal as vítimas não foram os filhos dele. Até mesmo pelo fato que nós contribuintes pagamos regiamente as suas excelências para que os mesmos possam manter seus pimpolhos distantes das redes públicas de ensino, mantendo os mesmos em escolas da rede particular.

É nisso que resulta colocar pessoas com visíveis limitações morais e intelectuais para alçar cargos na condição de “representes do povo”, quando na verdade representam os seus mesquinhos interesses.

O mais grave e patético de toda essa bizarra comédia é pelo fato dos reparos estarem sendo realizados justamente quando a aula estava sendo ministrada com a sala repletas de alunos.

A declaração e a postura de Lulinha enoja a todos nós enquanto cidadãos. Ele deixa exposto a sua visível falta de caráter e empatia para como os problemas de seus semelhantes.

Quanto ao fato de argumentar que acidentes acontecem em qualquer lugar, este lugar não foi na casa dele. Se fosse o discurso não seria o mesmo.

O vereador Jhonatas Monteiro (PSOL), estranhou o fato da manutenção ser feita durante o momento em que as aulas estão acontecendo e crianças no interior da escola. Quando poderia ser realizada em outros momentos a exemplo de um final de semana, feriado ou mesmo o período em estavam fechadas durante a pandemia.

O que deixa claro é a total falta de empenho e desprezo demonstrado pela administração do prefeito de direito e não de fato, Colbert Filho (MDB), para com a educação no município.

Diante dessa lamentável realidade, como bem sentenciou Monteiro, nesse caso específico, não se pode falar em acidente. Outros casos semelhantes têm ocorridos em outros prédios da rede municipal de ensino, na terrinha de Lucas.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS