Tempo - Tutiempo.net

Descoberta a maior bactéria do mundo

A Thiomargarita, maior bactéria do mundo

Cientistas da Universidade das Antilhas acabam de anunciar, em um estudo publicado na respeitada revista científica Science, a descoberta do que seria a maior bactéria conhecida pelo homem.

Ela é 5000 vezes maior do que uma bactéria comum, seu organismo é bem mais complexo do que o de uma bactéria comum e ela pode ser vista a olho nu. Descoberta em Guadalupe, uma ilha francesa localizada no Caribe, a bactéria pode mudar drasticamente a forma como a ciência enxerga esses seres.

A bactéria chamada de Thiomargarita magnifica, foi descoberta há vários anos atrás pelo cientista Oliver Gross, que trabalha na Universidade da Antilhas Francesas. Contudo, a princípio, a descoberta não chamou a atenção da comunidade científica, já que o próprio Gross pensou que a criatura se tratava de um fungo e não de uma bactéria.

Contudo, após mais de cinco anos de trabalho dele e de uma equipe de pesquisadores, concluiu-se que a Thiomargarita magnifica era sim uma bactéria.

Na verdade, uma Gammaproteobacteria. No entanto, só depois de mais alguns anos é que um dos alunos de Cross, Jean-Marie Volland, percebeu que aquela não era uma bactéria comum, mas sim uma criatura única.

Oliver Gross descobriu a Thiomargarita magnifica crescendo debaixo d’água em folhas caídas da Mangue-vermelho, uma árvore comumente encontrada em mangues em regiões tropicais e sub-tropicais do mundo.

A Thiomargarita magnifica cresce até o tamanho médio de 10 milímetros. Contudo, alguns de seus indivíduos, podem chegar até o tamanho de 20 milímetros. A bactéria possuiu ainda filamentos em suas extremidades que são usadas para que a Thiomargarita magnifica possa se deslocar.

Ela “pode ser vista, posso pegá-la com uma pinça de depilação”, disse Cross à agência de notícias Agence France-Presse (AFP).

Empolgado, ele completou: “No começo pensava que era qualquer coisa menos uma bactéria, não era possível”. Jean-Marie Volland, o estudante de Cross que descobriu as propriedades únicas da bactéria e que foi o responsável pelo estudo publicado pela Science, completa: “Era como encontrar um humano tão alto quanto o Everest”.

O desafio de provar que a criatura era realmente constituída de uma única célula e, assim sendo, era a maior bactéria já descoberta pelo homem até então, envolveu o trabalho de outros pesquisadores e também técnicas avançadas, como o uso de microscopia em três dimensões.

O trabalho desses pesquisadores também provou que o funcionamento do organismo da Thiomargarita magnifica é muito mais complexo do que o de uma bactéria comum.

Agora, cientistas dizem que a descoberta podem mudar completamente a forma como a ciência enxerga as bactérias.

“A princípio, isso nos faz questionar até o uso de ‘micro’ para descrever essas bactérias, já que a microbiologia lida com coisas que a gente não vê a olho nu”, disse a cientista e pesquisadora Sylvia Maria Affonso Silva, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em entrevista a BBC Brasil.

Devido ao seu trabalho de pesquisa e sua capacidade de perceber que a Thiomargarita magnifica não era uma bactéria comum, Jean-Marie Volland se tornará o primeiro cientista da Universidade das Antilhas a ter um trabalho publicado na famosa revista Science.

RPP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS