Governo Bolsonaro agoniza: Brasil permanece na UTI/ Por Sérgio Jones

Moro será julgado por suspeição

Decisão do ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), de anular as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Lava Jato, o que tornou o petista elegível para ser candidato à Presidência em 2022.

Já começa a fazer estragos e o desespero está estampado na carantonha do jair. Na falta de argumento palpável, minimamente racional, a imitação grotesca de presidente argumenta que a ação se deve à “ligação” do ministro com o PT.

Bate o medo e o desespero do governo facínora em não conseguir se reeleger. Diante dessa possibilidade se concretizar, o genocida presidente se apropria do mesmo discurso que habitualmente faz diante de gado confinado. E dirige o mesmo ao povo brasileiro.

“Eu acredito que o povo brasileiro não queira sequer ter um candidato como esse em 2022, muito menos pensar numa possível eleição dele”, afirmou Bolsonaro em entrevista no Palácio da Alvorada. “Você pode ver, a Bolsa já foi lá pra baixo, o dólar foi lá pra cima. Todos nós sofremos com uma decisão como essa daí, agora a gente espera que a turma do supremo restabeleça aí os julgados.”

Além do cinismo e de incompetência comprovada do atual mandatário, se aventura ele, a fazer citações tipo o dólar foi para cima, a Bolsa para baixo. Esqueceu, de forma proposital, elencar os estragos em que a desastrada e desqualificada administração dele e de seus sinistros apoiadores vêm causando ao país, ao longo desses fatídicos dois anos.

Ao dizer que o ‘povo brasileiro não quer’ Lula como candidato e acusar Fachim de ligação com o PT. Prova que Bolsonaro está assustado e já sente a água a lhe escorrer entre os dedos.

 seus anos de crimes e atentados praticados contra a integridade física e moral da humanidade, estão com seus miseráveis dias contados. Só nos resta aguardar o seu desfecho, para que justiça seja feita.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS