Gradeado circundando as Praças Monsenhor Galvão e Padre Ovídio foi fechado com cadeado

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Bando Anunciador da Festa de Santana

O arcebispado de Feira de Santana e os religiosos da Igreja da Matriz mais uma vez demonstraram insensibilidade para com os seus fiéis.

A comissão organizadora da Festa de Santana e da Lavagem das Matriz, conforme Lei Municipal, enviou através de ofício comunicado às autoridades da Religião Católica, no município, informação de que no dia 31 de janeiro estariam realizando a festa católica nas Praças Monsenhor Renato Galvão e Padre Ovídio.

Mesmo sendo uma Lei Municipal a realização da Festa, as autoridades religiosas e responsáveis pela Igreja da Matriz, trancaram com cadeados os portões de todos os acessos à Igreja, decepcionando os fiéis de Santana.

A praça é do povo e a Igreja dos católicos, suas portas não podem ser fechadas para impedir a entrada de fiéis ou não. Muito menos manter o gradeado (que já é uma ofensa ao povo) com os seus portões trancados com cadeados.

Eles e esquecem que existe uma questão cultural histórica em torno da Festa da Matriz.

O professor Marialvo Barreto nos relembra que, mesmo interrompida, arbitrariamente por um bispo,  a 28 anos, sem consulta ao povo, mas foi mantida em sua memória, e, retomando agora para manter unida a cultura e a fé entre os grupos católicos.

Resta ainda a levagem. Esta surgiu quando era preciso iluminar a praça com fogueiras e fazerem acontecer a festa de Santana.

Com a chegada da luz elétrica as fogueiras foram extintas, mas a tradição não, ficando em seu lugar uma festa da levagem  simbólica e uma atração a mais de fiéis para a Igreja.

Esta também foi insensivelmente interrompida, mas vamos revitalizá-la.

Todos ficaram tristes com o fechamento do gradeado das Praças e da Igreja.

E mesmo assim os fiéis fizeram a festa. Todos tiveram a certeza que Senhora Santana ficou feliz, e ainda, como boa mãe, irá perdoar os trancadores de cadeados e da casa do Pai.

Carlos Lima

 

OUTRAS NOTÍCIAS