Tempo - Tutiempo.net

Os poderes são independentes, atuam em benefício do povo e da Nação.

Na situação pandêmica que penaliza nosso país, o distanciamento social nos chama a fazer uma  analise mais rigorosa do porque é necessário e indispensável, reduzir a circulação de pessoas em espaços coletivos públicos, como ruas e praças e nos ambientes privados shoppings, comércio de um modo geral e participar de festas, shows e similares.

Conforme a evolução dos casos positivos do coronavírus nos municípios, as medidas de distanciamento devem ser adotadas.

A paralisação de atividades não essenciais deve ser definida pelos gestores municipais, levando em conta a gravidade referente as contaminações comprovadas em cada um deles.

Essa decisão não deve ser e exclusivamente dos prefeitos, governadores e contar com o apoio do governo federal.

OS gestores municipais convivem diariamente e diretamente com a situação e os governadores possui a visão e o controle estatístico de todos os municípios do seu estado.

O governo federal lida com os números e decisões globais, na área financeira, na logística do processo de vacinação.

É uma rede de decisões, supervisionada pelo chefe da nação, que contribui logisticamente com a necessidade de cada Estado, e o Estado com as necessidades dos seus municípios.

Ninguém faz tudo sozinho, vivemos uma democracia com poderes independentes que atuam em benefício do povo e do país.

Muitas pessoas acreditam que distanciamento social é a mesma coisa que lockdown, não é verdade.

O distanciamento social pode ser vertical ou horizontal.

Na situação vertical as medidas são voltadas apenas para o isolamento dos grupos de risco em suas residências;

Na horizontal: são medidas mais restritivas, voltadas para toda a população, há a permissão de circulação para serviços essenciais e não essenciais, conforme as regras determinadas pelo poder público.

O distanciamento social horizontal pode ser feito de forma rígida ou flexível, dependendo da situação.

A forma rígida estabelece apenas uma regra para todas as situações. Uma das formas mais rigorosas é o chamado lockdown, ou seja, bloqueio total da circulação.

Em qualquer situação a exigência é de que a população seja bastante responsável na prevenção da covid-19.

Portanto, para continuarmos com a abertura gradual, todos têm que fazer a sua parte: o cidadão, o empresário e o profissional de saúde.

O que observamos no dia a dia é que ninguém obedece as regras, inclusive dos dois metros de distância um do outro e uma minoria usa a mascara corretamente.

Qualquer ato que vá de encontro a essas condições, é  mundialmente considerado um ato criminoso.

Você pode perguntar por quê?

Porque, não cumprindo essas regras, você estará contaminando alguém com o vírus, e a pessoa contaminada corre o risco de morte.

E você terá contribuído diretamente para que isso aconteça.

Precisamos nos conscientizar de que vivemos uma situação de guerra global e o vírus nos coloca na condição de carrasco do nosso semelhante.

Pense nisso.

Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS