Tempo - Tutiempo.net

Papa vai encontrar-se com indígenas do Peru, Bolívia e Brasil

América Latina: Papa vai encontrar-se com indígenas do Peru, Bolívia e Brasil

O Papa Francisco vai encontrar-se com indígenas do Peru, da Bolívia e do Brasil no dia 19 de janeiro, em Puerto Maldonado, cidade peruana da região da amazónia.

“Explicamos quem é o Papa Francisco, o que representa para a Igreja e para a humanidade, que mensagem está dando hoje, por que vem a Puerto Maldonado e por que deseja ter um encontro específico com eles”, referiu ao portal do Vaticano o bispo do Vicariato Apostólico de Puerto Maldonado.

Em comunicado, D. David Martínez Aguirre revelou que enviou convites aos povos indígenas para participarem no encontro com o pontífice onde escreveu: “O Papa Francisco vem para vos ver”.

Do encontro, no dia 19 de janeiro, o prelado espera que os povos indígenas “sejam reconhecidos como protagonistas importantes” que devem participar na política a nível nacional e mundial e “não apenas nas que afetam os seus territórios”.

O Papa vai realizar a sua quarta visita à América Latina, mais concretamente ao Chile e ao Peru, entre 15 e 21 de janeiro.

Francisco chega ao Peru no próximo dia 18 onde vai encontrar-se com as autoridades civis, visita o presidente da República e encontra-se com os Povos da Amazónia no Centro Regional Madre de Dios.

O bispo do Vicariato Apostólico de Puerto Maldonado, D. David Martínez Aguirre, recordou que o Papa na sua Encíclica ‘Laudato Si’ escreve que “os povos indígenas são minorias que devem ser levadas em conta”, porque estão a dar “a possibilidade de outras direções à humanidade”.

Ainda no documento dedicado à ecologia integral, publicado em 2015 – com 246 parágrafos em seis capítulos -, Francisco sustentou que a exploração dos recursos naturais não deve apostar no benefício imediato, num comentário à desflorestação da Amazónia.

A viagem do Papa começa no Chile, no próximo dia 16, seguindo um programa já divulgado pelo Vaticano.

O Papa Francisco convocou uma assembleia especial do Sínodo dos Bispos para a região pan-amazónica, em outubro de 2019, no Vaticano.

“O principal objetivo desta convocação é identificar caminhos para a evangelização dessa porção do Povo de Deus, especial dos indígenas, muitas vezes esquecidos e sem a perspetiva de um futuro sereno”, explicou no dia 15 de outubro de 2017.

Na sua encíclica ‘Laudato si’, o Papa deixou sobre a desflorestação da Amazónia, sustentando que a exploração dos recursos naturais não deve apostar no benefício imediato.

O argentino já tinha aprovado a criação de uma Rede Eclesial Pan-Amazónica, a REPAM, que inclui representantes de comunidades católicas de nove países.

Agência Ecclesia

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS