Tempo - Tutiempo.net

Povo ironiza os milhões gastos pelo exército brasileiro na compra de próteses penianas/ Por Sérgio Jones

Protese peniana para o Exército
As denominadas e gloriosas Forças Armadas Brasileiras, em tempos idos, eram cantadas em prosas e versos, e tidas como o orgulho do povo brasileiro. Com a ascensão do maluco e genocida presidente Jair Bolsonaro. Nada a ver com o “Maluco Beleza” do saudoso compositor baiano Raul Seixas.
As Instituições Militares, que antes eram respeitadas e veneradas por todos, conseguiram transformar-se em alvos de piadas grosseiras no meio do populacho. O desgaste teve início junto à opinião pública com o golpe ocorrido em 1964 que se estendeu até 1985. Período considerado e um dos mais cruéis, já registado no calendário da história brasileira.
Com a ascensão do presidente genocida e ex- militar das Forças Armadas, a qual foi defenestrado devido ao seu comportamento marginal. A situação se agravou ainda mais, o que já era considerado ruim ficou pior com a incorporação de militares tanto da ativa como os da reserva, no desgoverno atual.
Dentre os muitos escândalos que envolvem os militares o caso mais hilário e patético têm sido as compras de próteses penianas pelo Exército.
Dois hospitais da Força justificaram a compra inusitada que irá, ao que parece, turbinar os nossos gloriosos guerreiros, com o seguinte argumento prestado junto ao Tribunal de Contas da União: que compraram R$ 3,5 milhões em próteses penianas infláveis porque são mais parecidas com a “ereção fisiológica”.
Explicações mais detalhada pelos militares e que serve de justificativa para tal aquisição é que as próteses maleáveis, 33 vezes mais baratas e autorizadas pelo SUS, fariam o paciente ter que “dobrar o pênis para vestir uma roupa”.
As informações foram enviadas pelos hospitais militares na última semana ao TCU, que apura o uso de dinheiro público pelo Exército para comprar próteses penianas em 2021.
Ao que parece e tudo nos induz a crer é que as grandes contendas travadas no futuro não acontecerão em de campo de batalhas e sim nas camas dos militares de pênis flácidos.
Enquanto isso, toda a farra do bordel fardado, segundo comenta o povo com uma misto de ironia e revolta, continuará a ser mantida às custas do erário.
Um luxo que acontece diante de uma realidade cruel em que milhões de crianças, mulheres e idosos estão vivendo um momento de total insegurança alimentar.
Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS