Recebendo os novos iniciados na Maçonaria/por Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Trabalhando a "Pedra Bruta"

Nesse momento vou me dirigir, especialmente aos irmãos iniciados.

Foi surpreendente quando os olhos dos irmãos se abriram e vislumbraram a verdadeira luz. Lógico que a infinidade de objetos e símbolos que os cercavam despertou imensa curiosidade.

Anteriormente passaram por situações únicas que podem ter gerado momentos de dúvidas e receio.

As incertezas por certo povoaram, momentaneamente, os seus pensamentos, aguçando o imaginário diante de uma escuridão que parecia eterna.

Simbolicamente fizeram viagens. Naquele momento incompreensível, e, para eles, sem significado lógico.

Eles não sabiam estarem iniciando um trabalho na “Pedra Bruta”.

A Maçonaria é formada por homens de boa vontade que praticam culto à virtude e mantém como princípio norteador a Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

Os verdadeiros maçons trazem sempre consigo as grandes verdades morais e científicas, que os representam, e também os seus símbolos.

Nesse conjunto de símbolos e princípios, se constrói a Loja Maçônica com colunas, altares e outros adornos que representa o Templo de Salomão. É um Tempo a Virtude.

A montagem das dificuldades encontradas nas ‘viagens’ indicam claramente que absolutamente nada será conquistado sem dificuldades, tropeços, erros e equívocos.

O caminho das conquistas existe. Estão, sem presunção, na Maçonaria.

Nela também encontrarás a trilha da liberdade, igualdade e fraternidade. Como vai segui-las, dependerá única e exclusivamente de como irás trabalhar a ”Pedra Bruta”.

O Venerável Mestre lhe conferiu o grau de aprendiz maçom, porque ele e os seus novos irmãos acreditaram que sois homens de bem para serem recebidos na Maçonaria.

Todos se recordam que para entrar no Templo, foram dadas três batidas com o malhete, sabem o que isso significa:

Buscai e achareis – Batei e se vos abrirá – Pedi  e dar-se-vos-á.

A partir desse momento deves estudar examinar e se aprofundar nos segredos da vida e da filosofia maçônica.

O Sol com luz própria e a Lua com sua luz reflexa, lhes ensina que  o maçom jamais está mergulhado nas trevas e que sempre será guiado pelo Grande Arquiteto do Universo.

Jamais esqueças ou duvide que a amizade nos une, fortalece e que a Igualdade, representada pelo Nível, é uma das grandes verdades ensinadas nos Templos Maçônicos.

O compasso é o símbolo da precisão, da retidão, é a determinação de que o verdadeiro maçom, ao traçar o ciclo de suas vidas, não se deve empreender em nada que não seja justo.

E digo mais, a partir desse momento os nossos novos irmãos aprendizes devem fazer uso desses princípios como um manto que envolve o seu caráter.

Entretanto o homem é um pecador. Com certeza, nem todos conseguirão.

Meus irmãos, como tudo que acontece na vida, a Maçonaria tem adeptos fervorosos, que a defendem com exaltação e tem inimigos que a atacam de forma injusta e gratuita.

A ignorância inconsciente estimula determinados seres humanos atacar de forma impiedosa a Maçonaria.

Por que será que fazem isso?

Essas pessoas, na sua totalidade, têm medo do desconhecido.

Na verdade é uma qualidade encontrada nos escravizadores, nos fanáticos religiosos, nos falsos profetas, mentirosos e exploradores dos semelhantes.

Agem até com ferocidade contra uma organização que eles desconhecem.

Declaram guerra contra os Maçons e não sabem dizer por que o fazem. Mentem para se justificar e criam falsos argumentos.

Meus irmãos, não é maçom quem quer e sim quem pode ser.

“O Maçom é obrigado por seu caráter a obedecer à lei moral e, se devidamente compreende a Arte, não será jamais um ateu nem um libertino religioso.”

O Maçom é livre em suas opiniões individuais. Devem ser homens honestos, eretos e retos, de honra e honradez, qualquer que seja o credo, denominação, ou posição política que os distinga.

Carlos Lima

OUTRAS NOTÍCIAS