Tempo - Tutiempo.net

Só pode ser piada: Bolsonaro diz só participa de debate no 2º turno, com perguntas pré-acertadas”

Bolsonaro em entrevista na Rádio Massa no programa do Ratinho

Em entrevista à Rádio Massa, do apresentador Ratinho, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que só pretende participar de debates em um eventual segundo turno da eleição.

“No segundo turno eu vou participar. Se eu for para o segundo turno, devo ir né, vou participar”.

Caso aconteça um segundo turno na disputa presidencial, Bolsonaro enfrentaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que lidera as pesquisas divulgadas até o momento.

Bolsonaro explicou que ainda irá “pensar” sobre a ida ou mais debates durante o primeiro turno, mas que não deve assim agir por medo de se tornar o alvo preferencial de todos os concorrentes.

“No primeiro turno, a gente pensa [se participa ou não]. Por que? Se eu for, os dez candidatos ali vão querer a todo o tempo dar pancada em mim e eu não vou ter tempo de responder a eles. Um vai fazer pergunta para o outro e vão dar pancada em mim.”

O pré-candidato do PL deu a entender que poderia rever o posicionamento caso as perguntas nos debates realizados no primeiro turno fossem acertadas antecipadamente.

“Então, nós vamos analisar isso, porque acho que debate teria que ser com perguntas pré-acertadas antes com os encarregados de fazer o debate, até pra não baixar o nível.”

“Na prática, Bolsonaro quer receber as perguntas antes e ter tempo de submetê-las a seus assessores, que provavelmente redigiriam as respostas. Digamos, um debate fake”, avaliou o jornalista Tales Faria.

“Trata-se de um raciocínio lógico em se tratando de Bolsonaro. Se ele tiver que responder de improviso, muito provavelmente vai baixar o nível do debate. Não é mesmo?

Pode ocorrer de o presidente sair-se com aqueles palavrões que profere em algumas solenidades, quando tenta explicar por que a inflação está tão alta, o que há com o preço do diesel e do petróleo, ou qual o motivo de ter assinado indulto contra a condenação de Daniel Silveira”, continuou Tales.

“Mas alguém tem que explicar ao presidente que o debate franco de ideias é o cerne de uma democracia. Não há necessidade de xingamentos ou de baixar o nível.

Mas pressupõe polêmica, choque de ideias para que se possa extrair uma conclusão, escolher o melhor caminho. Bolsonaro quer fugir disso”, acrescentou o jornalista.

Em 2018, ano em que ganhou a disputa pelo Palácio do Planalto, Bolsonaro também optou por não aos debates realizados durante o pleito.

Após a “facada”, enquanto recusava convites para debates, Bolsonaro dava entrevistas à imprensa, gravava programas eleitorais e havia participado de ao menos um evento com apoiadores no Rio de Janeiro.

RPP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS