Barragem da Samarco em Mariana registra novo vazamento de resíduos

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Novo vazamento na Barragem de Mariana

A Mineradora Samarco informou hoje (27), por meio de comunicado, o registro de novo vazamento na Barragem de Fundão.

A empresa retirou funcionários do local e afirmou não ter havido necessidade de acionar a sirene instalada para alertar a população.

De acordo com a Samarco, ocorreu “uma movimentação de parte da massa residual”, que teria sido causada pelo grande volume de chuvas que caiu sobre a região nas últimas semanas.

A Defesa Civil e a prefeitura de Mariana (MG) confirmaram que foram informadas pela Samarco sobre o novo vazamento, mas descartaram risco para a população, apesar de a empresa ter emitido um alerta amarelo.

Por meio da assessoria de comunicação, a Defesa Civil de Minas Gerais disse que o vazamento não teve grandes proporções, tratando-se de um “desplacamento de resquícios minerais”, ou seja, deslocamento dos resíduos de minério que ainda restam na barragem.

A Barragem de Fundão, localizada em Mariana e de propriedade da Samarco, uma joint venturedas mineradoras brasileira Vale e anglo-australiana BHP, se rompeu no dia 5 de novembro.

Milhões de metros cúbicos de resíduos de mineração armazenados no local foram liberados, devastando o distrito de Bento Rodrigues e matando 17 pessoas.

Duas permanecem desaparecidas. O incidente deixou um rastro de destruição ao longo da margens do Rio Doce e  afluentes, causando também o colapso no abastecimento de água em municípios que integram a bacia.

Segundo a Samarco, o volume de resíduos de mineração que se deslocou hoje se acomodou entre as barragens de Fundão e Santarém. Conforme a empresa, as barragens de Santarém e Germano, que sofreram danos e foram submetidas a obras de recuperação após o desastre em Mariana, continuam estáveis.

O promotor Carlos Eduardo Ferreira, responsável pelo Núcleo de Combate a Crimes Ambientais no  Ministério Público de Minas Gerais, ordenou a ida de um representante do MP-MG ao local para investigar o novo vazamento.

Felipe Pontes

OUTRAS NOTÍCIAS