Cheques sem fundos têm o pior semestre desde 2009, revela Serasa

Do total de cheques compensados em todo o País no primeiro semestre de 2013, 2,08% foram devolvidos pela segunda vez por falta de fundos, informou nesta terça-feira, 23, a Serasa Experian. Trata-se do maior porcentual para os seis primeiros meses do ano desde 2009, quando foram devolvidos 2,3%. O total de cheques devolvidos em junho foi de 1,94%, abaixo dos 2,15% registrados em maio e dos 2,02% de junho de 2012.

 

De acordo com os economistas da empresa, a elevação do número de cheques devolvidos por falta de fundos neste primeiro semestre do ano foi decorrente da inflação, que reduziu o poder aquisitivo das famílias. Eles citam ainda o “alto comprometimento da renda do consumidor com prestações e a falta de planejamento nos financiamentos e nas compras parceladas com cheques pré-datados, que são mais difíceis de renegociar”.

 

Roraima foi o Estado que apresentou o maior percentual de cheques devolvidos, de 11,16%, no primeiro semestre, seguido pelo Piauí, com 9,35%. Na outra ponta, o Amazonas teve o menor percentual, 1,47%, seguido por São Paulo, com 1,48%. Entre as regiões, a Norte liderou o ranking de devoluções, com 4,46%. No Sudeste, a parcela ficou em 1,62%.

 

Na pesquisa divulgada em maio o Nordeste  foi a região do País com o maior índice de cheques sem fundos, posição conquistada duas vezes consecutivas, referente aos meses de março e abril. De acordo com a pesquisa, em abril o índice de inadimplência  com cheques dos nordestinos foi de 4,6%. Em março, a taxa  foi um pouco menor: 4,43%.

 

Na época, o economista da empresa Serasa Experian, Carlos Henrique de Almeida, chegou a afirmar que “historicamente, o Norte e o Nordeste se revezam na primeira posição do ranking de inadimplentes”.

 

Fonte: UOL e A Tarde

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS