CONFIRA A DENÚNCIA DE 1.803 CRIMES DE FLÁVIO BOLSONARO E SUA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA NA ALERJ

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

O documento de 290 páginas elaborado pelo Subprocuradoria-Geral de Justiça de Assuntos Criminais e Direitos Humanos, da Procuradoria-Geral de Justiça, detalha o esquema de peculato na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) patrocinado pelo então deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.

Atualmente, o ’01’ é senador do Rio de Janeiro pelo Republicanos.

A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) e conta o esquema chefiado por Flávio e a imputação de 1.803 de peculato na lavagem de dinheiro, 263 atos de lavagem de dinheiro.

 Ainda segundo o documento disponibilizado pelo jornalista Fausto Macedo, do Estadão, também já existem suspeitas de evolução patrimonial de Flávio e sua esposa, Fernanda Bolsonaro.

Com isso, o MP aponta o filho do presidente Jair Bolsonaro como ‘lider da organização criminosa’ que envolve 16 pessoas e mostra o papel estratégico do ex-assessor Fabrício Queiroz como operador financeiro do esquema e a atuação determinante do chefe de gabinete do ’01’ no Senado, Miguel Ângelo Braga Grillo nas tais rachadinhas.

denuncia1parte22-221120201509
denuncia1parte12-221120201526

O cafezinho

OUTRAS NOTÍCIAS