Dilma critica ‘terrorismo informativo’ sobre política econômica

Em discurso no Complexo Esportivo da Rocinha para o anúncio de obras em três favelas do Rio, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira, 14, que há “estardalhaço e terrorismo informativo” sobre a situação econômica do País. No mesmo evento, atacou indiretamente a oposição ao dizer Que “não se fazia obra para as comunidades mais pobres” no Brasil até 2003, início do governo Lula.
Foi o terceiro dia consecutivo em que Dilma volta suas declarações para críticos da política econômica. Na quinta-feira, em Curitiba, tratou-os como “vendedores do caos”. Um dia antes, em Brasília, havia comparado a oposição ao Velho do Restelo, personagem de Luís de Camões na obra Os Lusíadas considerado um pessimista.
Nesta sexta, Dilma preferiu passar ao largo dos protestos contra o custo do transporte público em várias capitais do País e voltar seu discurso ao noticiário sobre a retomada inflacionária. “Nós jamais deixaremos que a inflação volte. Hoje ela está sob controle, ontem ela estava e continuará sob controle”, discursou. E fez um pedido: “Peço a vocês que não deem ouvidos a esses que jogam sempre no quanto pior, melhor. Críticas, todo mundo tem de ter a humildade de aceitar. Mas terrorismo, não”.
A presidente afirmou que, em meio à crise econômica que “talvez seja a mais grave desde 1929”, o Brasil apresenta hoje “a menor taxa de desemprego do mundo”.
“Vocês têm visto na imprensa muita gente falando que o Brasil passa por um momento de dificuldades. Interessa a eles criar essa ideia”, discursou Dilma para uma plateia de políticos e, principalmente, moradores da Rocinha. “Não só o Brasil não está numa situação difícil como é um país extremamente sólido. Temos uma das menores relações entre dívida líquida e PIB. Não gastamos mais do que possuímos. Somos sérios em relação à política fiscal.”

Fonte: O Estado de S. Paulo

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS