Dossiê pede que Joe Biden suspenda acordos de Bolsonaro com os Estados Unidos

Jair Bolsonaro, um porta-voz dos defensores da ditadura militar de 1964

Um documento de mais de 30 páginas elaborado por dez universidades e ONGs internacionais pedindo mudanças nas relações dos EUA com o Brasil e sugerindo a suspensão de acordos entre os países foi recebido pelo governo do presidente Joe Biden. A informação é da BBC Brasil.

Segundo a emissora, o dossiê critica a aproximação entre Jair Bolsonaro e o ex-presidente norte-americano Donald Trump, classificando a relação dos dois como “um fator central na legitimação de Bolsonaro e suas tendências autoritárias”.

O texto ainda recomenda que Biden suspenda importações de madeira, soja e carne do Brasil, “a menos que se possa confirmar que as importações não estão vinculadas ao desmatamento ou abusos dos direitos humanos”.

De acordo com a BBC, o documento chegou aos gabinetes de pelo menos dois congressistas próximos ao presidente e ao núcleo do governo através de Juan Gonzales, recém-nomeado por Biden como diretor para o hemisfério ocidental da Casa Branca.

O dossiê, continua a BBC, trata de temas como preservação ambiental, Base de Alcântara, ditadura militar, operação Lava Jato e pautas relacionadas aos direitos de minorias como população indígena e periférica.

Segundo o texto, após o apoio de comunidades negras, latinas e asiáticas em sua eleição, Biden e os EUA “têm obrigação moral e interesse prático em se opor a uma série de iniciativas da atual presidência do Brasil”.

“A recente ‘relação especial’ entre os dois países por meio da ampliação de relações comerciais e ajuda militar possibilitou violações dos direitos humanos e ambientais e protegeu Bolsonaro de consequências internacionais”, diz um trecho do documento.

Sobre a preservação ambiental, o dossiê não cita o fundo de 20 bilhões de dólares prometido por Biden para a Amazônia, mas diz que apoiar financeiramente programas de preservação de Bolsonaro seria “jogar dinheiro no problema”.

O documento ainda pede que Biden reverta a aprovação do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas assinado por Trump e Bolsonaro em 2019, que permite a utilização comercial da Base Espacial de Alcântara pelos EUA, alertando para a remoção de centenas de famílias quilombolas que vivem na região.

“O governo Biden-Harris deve se colocar de maneira firme contra qualquer desapropriação de terras quilombolas, enquanto se engaja em ações pacíficas colaboração com a Agência Espacial Brasileira em Alcântara”, diz o texto que a BBC teve acesso.

Além disso, o dossiê pede que o governo de Biden libere documentos sob sigilo da ditadura militar brasileira e faça esclarecimentos sobre a participação dos EUA na operação Lava Jato.

Redação – Opera Mundi

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS