Tempo - Tutiempo.net

Economia pode voltar a crescer no final do ano, diz Nelson Barbosa

Ministro Nelson Barbosa

O ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, disse hoje (15) acreditar em recuperação da economia no segundo semestre, e em retomada do crescimento no final deste ano.

Barbosa fez a afirmação ao comentar as projeções do governo para crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos em um país) para os próximos três anos.

Apesar do atual cenário recessivo, a equipe econômica prevê crescimento do PIB de 1% em 2017, 2,9% em 2018 e 3,2% em 2019.

As projeções estão no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2017, enviado nesta sexta-feira ao Congresso Nacional.

Em 2015, o PIB brasileiro teve retração de 3,8% e, para este ano, o governo espera nova redução, de 3,1%. Na avaliação de Nelson Barbosa, projetar crescimento para os próximos três anos é uma expectativa “realista”.

“Crescimento de 1% no ano que vem é possível, nós estamos tomando medidas para isso. A economia brasileira mostrou que tem uma capacidade de recuperação bastante rápida.

É possível estabelecer o nível de estabilidade econômica no terceiro trimestre, de modo que a economia pode voltar a crescer no final do ano”, declarou.

Segundo Barbosa, ações do governo estão dando resultado. “Começamos a ver resultados positivos. Uma queda de inflação maior do que o governo previa, a recuperação de confiança e do nosso saldo comercial. As nossas previsões são realistas, baseadas nas ações que o governo se propõe”, reiterou.

Ele disse que, uma vez que o atual impasse político seja superado, a economia brasileira poderá recuperar-se mais rapidamente.

De acordo com o ministro da Fazenda, se aprovada pelo Congresso Nacional, a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) garantiria uma receita bruta de R$ 47 bilhões e líquida de R$ 35 bilhões para o próximo ano.

Ele destacou que outras medidas para aumentar a arrecadação podem ser adotadas, como instituição do juro sobre capital próprio.

Mariana Branco

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS