Gillette vai parar no Conar por “preconceito contra peludos”

A campanha da Gilette para incentivar a depilação masculina não agradou parte do público. Sob o mote “Quero Ver Raspar”, e com a participação da estrela sul-coreana Psy, de Sabrina Sato e das gêmeas atletas Bia e Branca Peres, o comercial foi parar no Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) após denúncias de consumidores.

Segundo a entidade, o processo foi aberto esta semana depois de 15 reclamações – 14 homens e uma mulher – que consideraram o filme preconceituoso. O Conar informou também que o processo será analisado em 30 dias.

A propaganda não está mais disponível no canal da Gillette no YouTube ou na página da marca no Facebook. Em comunicado, a P&G afirmou que ainda não foi notificada pelo Conar sobre a abertura do processo.

A respeito das críticas, a empresa defende-se afirmando que “oferece soluções para remoção de pêlos e, por isso, é natural que o tema depilação masculina seja abordado”.

Ainda de acordo com o comunicado, “a marca tratou o tema de maneira irreverente, focando na preferência das mulheres por homens depilados e em momento algum teve a intenção de desrespeitar qualquer consumidor”.

Fonte: Redação / Exame

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

OUTRAS NOTÍCIAS