Tempo - Tutiempo.net

Globo defende que Haddad faça ajuste fiscal no lombo dos aposentados e dos mais pobres

Haddad defende ajuste fiscal sem penalizar aposentados e pobres

O jornal O Globo, da família Marinho, defende que o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, promova um ajuste fiscal cortando despesas públicas que beneficiam aposentados e a população mais pobre do País.

“Não dá mais para cumprir meta fiscal ampliando receitas. É urgente desvincular os benefícios do INSS do salário mínimo e as despesas com saúde e educação da arrecadação”, escreve o jornal, em seu editorial.

“O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, faz bem em levar medidas de contenção de despesas para apreciação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. É urgente controlar os gastos públicos.

Sem isso, a credibilidade já desgastada do arcabouço fiscal aprovado há menos de um ano continuará a deteriorar-se”, prossegue o editorialista.

“Duas ideias deveriam ser prioridade. Primeiro, desvincular do salário mínimo os benefícios temporários pagos pelo INSS. Segundo, é preciso voltar a desvincular do aumento das receitas os gastos constitucionais obrigatórios com saúde e educação”, acrescenta.

O jornal também afirma que a equipe de Haddad não conseguirá ampliar a arrecadação de impostos.

“São eloquentes as dificuldades para ampliar a receita de impostos num país com carga tributária já escorchante. Ao restringir o uso de créditos de PIS/Cofins para empresas pagarem outros tributos, a MP despertou oposição de diversos setores”, aponta o editorial.

“Buscar aumento da receita no setor produtivo é problema para todos. As empresas são as maiores responsáveis pelo crescimento da economia. Tornar a vida delas mais difícil enfraquece a potência do Brasil de se desenvolver”, prossegue o texto.

OUTRAS NOTÍCIAS