Poupança pela regra antiga vira um dos melhores investimentos

Um ano depois da mudança de regras, a poupança antiga apresentou um dos melhores resultados entre as aplicações de renda fixa, segundo levantamento do professor de economia Pedro Raffy Vartanian, da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

“Com a Selic (taxa básica de juros) em baixos patamares (hoje em 7,5% ao ano), a poupança antiga é um excelente investimento. Uma recomendação para as pessoas que podem poupar é não mexer no dinheiro da poupança antiga”, sugere o professor.

As aplicações na poupança feitas até o dia 3 de maio do ano passado renderam 6,25% nos últimos 12 meses. Elas seguem a regra antiga, com rendimento de 0,5% ao mês mais TR (Taxa Referencial).

Já quem aplicou a partir do dia 4 de maio daquele ano teve um rendimento de apenas 5,47% em um ano, pois segue a nova regra, segundo a qual o ganho equivale a 70% da taxa Selic (taxa básica de juros) mais TR.

Vale lembrar que ninguém pode mais aplicar na poupança antiga. Quem já tinha aplicação antes da mudança, pode mantê-la.

O rendimento da poupança pela regra antiga bateu o da média dos fundos de renda fixa referenciados DI, assim como superou também o CDB, supondo uma remuneração de 90% do DI, conforme indica a tabela abaixo. Aplicação Rendimento em 12 meses (%)*

Tesouro Direto com taxa de juros fixa + IPCA (NTN-B)…………. 13,22
Tesouro Direto prefixado (LTN) …………………………………….. 10,82
Poupança (regra antiga) ………………………………………………. 6,25
CDB**……………………………………………………………………… 5,75
Poupança (regra atual) ………………………………………………….5,47
Fundos DI*** ……………………………………………………………..4,04

* Já descontados impostos e taxas
** Supondo remuneração de 90% do CDI e prazo de 2 anos
*** Média dos fundos dos 4 maiores bancos que exigem investimento inicial baixo

Na tabela acima, o CDB supõe que se consiga uma remuneração de 90% do CDI. Caso obtenha 100% do CDI, o investidor terá um rendimento de 6,38% (superando, portanto, a poupança), mas esse ganho é mais difícil e depende da quantia aplicada e da relação do cliente com o banco.

Entre os títulos do Tesouro Direto, a LTN e a NTN-B ganharam, de longe, da poupança, com rendimento superior a 10%.

Vartanian, no entanto, faz uma ressalva: “Apesar do excelente ganho no Tesouro Direto , o investidor pode ter flutuações de curto prazo no rendimento, podendo até ter resultado negativo em alguns meses”.

Ou seja, se o investidor quiser uma aplicação mais previsível e garantida ainda tem dinheiro na poupança antiga, a recomendação é não mexer.

Agora, se ele estiver atrás de um ganho maior, mesmo que para isso corra risco de pequenas perdas no curto prazo, então o Tesouro Direto é mais adequado, afirma o professor.

Fonte: Sílvio Guedes Crespo

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS