Tempo - Tutiempo.net

A Justiça suspende licitação pra aberturas de cursos de medicina

foto: (divulgação)

TRF-1 entendeu que vencedora faz parte de um grupo que atuou de forma semelhante a um consórcio,  o que não era permitido pelo edital. Universidade São Judas nega.

 A ação acolhida pelo TRF-1 foi movida pela faculdade que ficou na segunda colocação da licitação.

Em primeira instância, a Justiça havia negado a antecipação de tutela, decisão que foi revertida pela desembargadora.

Projeto não para, diz São Judas

A universidade informou que “foi surpreendida” com a ação judicial movida pela segunda colocada que, segundo a São Judas, a acusou de ter “se consorciado a outras instituições ligadas à Ânima Educação, para concorrer ao certame do curso de Medicina em Limeira”.

A São Judas afirma que as argumentações não procedem e que acredita na reversão da decisão.

“Tal alegação não é verdadeira, pois as outras instituições de ensino ligadas à Ânima concorreram em outros municípios, e não em Limeira, não tendo formado qualquer consórcio para disputar o certame”, diz, em nota.

“A São Judas está plenamente convicta de que será reconhecido seu direito no mérito, já que além de inexistir o alegado consórcio, o edital jamais vedou que outras instituições de ensino e outras mantenedoras ligadas à Ânima participassem da disputa em outros municípios (…)

Aliás, situação idêntica ocorreu com inúmeras outras instituições concorrentes, ligadas a outros grupos educacionais, em todas as edições e certames do programa ‘Mais Médicos’, em editais anteriores e posteriores ao de Limeira”, afirma a universidade.

A instituição afirma, ainda, estar confiante da razão, “aguardaremos a decisão do mérito, sem prejuízo de dar continuidade nos investimentos necessários, inclusive para a realização das obras de reforma do imóvel que abrigará as instalações universitárias da São Judas em Limeira, que dependem, apenas, da aprovação final pela Prefeitura”.

A São Judas conclui ao afirmar que os outros 12 cursos não foram objeto da ação e, portanto, não estão incluídos na “suspensão provisória”.

Faculdade de medicina está garantida, diz prefeitura

O secretário Municipal de Assuntos Jurídicos, Daniel de Campos, afirmou que o que se discute judicialmente é qual universidade administrará o curso de medicina, que já está garantido.

“Observa-se que, segundo o MEC, virá o curso de medicina para Limeira, onde a discussão é sobre quem virá, tendo mais de uma universidade querendo vir pra cá, o que evidencia que a cidade passou a ser interessante para os núcleos universitários”.

“A ação não anulou o certame do MEC, mas suspendeu os efeitos até decisão final, que poderá ocorrer a qualquer momento. Certo é que virá o curso de Medicina para Limeira, estando a disputa para quem virá”, informou em nota.

Campos também lembrou que a consolidação dos demais cursos não está suspensa.

“A discussão judicial não impede a vinda da São Judas para Limeira, estando apenas ‘sub judice’ um dos cursos”.

G1

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS