Tempo - Tutiempo.net

Educação baiana é pioneira na promoção da sustentabilidade

Promoção da sustentabilidade aplicada na rede estadual de ensino

Norteada pelo Programa de Educação Ambiental do Sistema Educacional da Bahia (Proease), a rede estadual de ensino vem executando ações e projetos que trabalham de forma prioritária esse componente em todos níveis e modalidades do ensino, conforme recomenda as políticas Nacional (Lei n° 9.795/99) e Estadual (Lei n° 12.056/2011) de Educação Ambiental.

Na quarta-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente,  atividades e ações pedagógicas de sensibilização e conscientização sobre a questão ambiental e as mudanças climáticas foram realizadas nos colégios estaduais, como parte da programação do ano letivo da Secretaria da Educação do Estado (SEC).

Tendo como foco central os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), as escolas da rede estadual de ensino estão desenvolvendo competências, habilidades e valores sociais que contribuem para o fortalecimento da sustentabilidade socioambiental.

Um dos projetos desenvolvidos pela SEC é o “Hortas escolares: plantar, cuidar e cuidar-se”, que abre caminhos para a implantação de hortas nas escolas como uma das estratégias para fortalecer a inclusão da Educação Ambiental de forma transversal.

Em Salvador, no Colégio Estadual Rômulo Almeida, por exemplo, os estudantes vêm colocando em prática, na horta, os conhecimentos obtidos em sala de aula ao trabalharem com compostagem para o cultivo de Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs), como a Ora-pro-nóbis, e de hortaliças livres de agrotóxicos, a exemplo do manjericão, que são aproveitadas na alimentação escolar.

A secretária da Educação do Estado, Rowenna Brito, visitou o colégio para conhecer a experiência exitosa e destacou como a SEC pretende fortalecer, nos próximos anos, a Política Estadual de Educação Ambiental instituída pelo Estado, em 2011.

“Estamos construindo as novas unidades escolares com reuso de água e energia fotovoltaica para garantir a sustentabilidade. Temos o projeto de hortas escolares, por exemplo e, também, utilizamos itens da Agricultura Familiar na alimentação dos estudantes. O nosso exercício é cada dia fortalecer essa pauta e conscientizar os estudantes, pois a questão ambiental é de responsabilidade de todos nós”.

Para marcar a data, os estudantes plantaram, ao redor da escola, mudas de árvores como Pau-Brasil e Tamarineiro e, também, participaram de uma aula de campo na horta. A estudante Eliza Ribeiro, 16, 2º ano, afirmou que ter uma horta na escola faz toda a diferença no aprendizado.

Dentre as ações desenvolvidas pela SEC, também se destaca o Programa de Educação Ambiental do Sistema Educacional da Bahia (ProEASE), que ajuda a fomentar discussões sobre as questões socioambientais nas unidades escolares, de forma transversal e contextualizada.

O projeto estruturante Juventude em ação: construindo a Agenda 21 nas Escolas (JA) tem o objetivo de promover a formação de Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (COM-VIDA) e a elaboração da Agenda 21 Escolar, por meio do protagonismo estudantil.

Já a Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente permite que os estudantes pesquisem, dialoguem e reflitam sobre as questões socioambientais; elaborem um projeto de ação com o objetivo de transformar a realidade; e escolham seus representantes para levar adiante as ideias acordadas entre todos.

Com informações da SEC

OUTRAS NOTÍCIAS