Em 10 anos vamos ter colapso no meio ambiente

Preservação ambiental e educação foram as sugestões do promotor público Audo da Silva Rodrigues, da Vara Especializada de Meio Ambiente, para o município viver em harmonia com a natureza e o progresso.

Ele foi um dos palestrantes da audiência pública realizada nesta quinta-feira (6), que discutiu os mananciais hídricos de Feira de Santana.

Meio ambiente: “eu acredito que no máximo em 10 anos nós vamos ter um colapso”, diz promotor.

O promotor destacou que muitas vezes o papel do Ministério Público “tem sido sufocado por alguns egoísmos de uma imensa parcela da população que credita a algumas instituições toda uma responsabilidade sobre os desmandos administrativos de meio ambiente que estão acontecendo no nosso país”, afirmou.

Com relação à Feira de Santana, ele declarou: “não nos cabe aqui tentar culpar ou encontrar culpados por tantos desmandos que foram feitos; tanta falta de educação que aconteceu de pessoas próximas dessas áreas de preservação permanente, que construíram ou acabaram burlando intencionalmente, meramente por interesses econômicos”.

Audo disse que, recentemente, participou de um evento em Vitória do Espírito Santo, que contou com a presença da ex-ministra Marina Silva, onde ela ressaltou que a população não está se preocupando com o futuro, talvez porque hoje, mesmo com a degradação ambiental, ainda há água e comida. “Ela disse que daqui a 100, 200 anos, a produção mundial de grãos estará estagnada e não conseguirá suportar o aumento da população”, alertou.

Partindo desse pressuposto, o promotor declarou: “esse é o nosso egoísmo real; ninguém está preocupado com questão ambiental atualmente, a nossa preocupação é financeira”. Em sua opinião, “nosso egoísmo não consegue enxergar a dimensão das consequências danosas”, afirmou.

Ele disse que é importante se pensar em medidas em longo prazo, mas devido às constantes agressões ao meio ambiente, “precisamos de medidas emergenciais a curtíssimo prazo. Da forma como está sendo tratadas as questões ambientais em Feira de Santana, eu acredito que no máximo 10 anos nós vamos ter um colapso”, afirma.

Audo ressaltou a importância de se conscientizar todos os setores da sociedade. “Se o Ministério Público, a Câmara de Vereadores, o Poder Executivo local se unirem diuturnamente na busca de uma solução para os problemas ambientais, nada disso vai ter valor se nós não tivermos uma população consciente, no entanto, a falta dessa consciência não nos pode tirar o poder de fazer o nosso papel e tomarmos as providências necessárias”, pontuou.

Fonte: Ascom/Redação

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS