Feira sedia encontro do Mais Educação

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Gestores, coordenadores pedagógicos e professores de Feira de Santana e de outros seis municípios baianos participaram nesta quarta-feira (13) durante o todo o dia, no salão de eventos do Feira Palace Hotel, do Primeiro Encontro de Formação para a Educação Emocional e Social na Perspectiva da Cultura de Paz. A atividade integra o programa “Mais Educação”, desenvolvido em parceria pelo Ministério da Educação e pela Secretaria de Educação.

Atualmente, 30 escolas municipais desenvolvem atividades do “Mais Educação”, que é uma proposta de escola em tempo integral. Os alunos frequentam as aulas no horário normal e no contraturno são integrados em uma série de atividades socioeducativas e lúdicas, como reforço escolar, música, karatê, judô, artes, dentre várias outras. As atividades são escolhidas pelas escolas a partir de macrocampos da educação, dentre os quais, cultura e arte, promoção da saúde, esporte e lazer e meio ambiente.

A perspectiva da Secretaria é que nos próximos meses mais 20 escolas possam também aderir ao “Mais Educação”. “A escola integral é uma das nossas principais propostas de governo e esta iniciativa do MEC já nos mostra como ela pode funcionar bem. Nossa ideia é preparar outras escolas a fim de ampliar a oferta para nossos estudantes”, anunciou a secretária Jayana Ribeiro. Ela também deu as boas vindas aos profissionais dos outros municípios – Água Fria, Gongogi, Iaçu, Nordestina, Tucano e Ubaitaba.

Depois deste primeiro encontro, os professores continuam a participar das formações, tendo mais quatro módulos que serão desenvolvidos através de metodologia educação a distância(EAD).

Nesse primeiro encontro de formação do ano, os professores e gestores de escolas conheceram mais de perto a proposta de educação emocional e social na perspectiva da cultura de paz. “São as próprias escolas que elegem os macrocampos e atividades que querem realizar. Neste caso, a educação emocional se insere no currículo comum, disseminando nas atividades da sala de aula uma dinâmica de cultura de paz. Os professores são orientados a desenvolver tais atividades e recebem todo o material adequado”, explica Claudia Cristina Santos, consultora do MEC/Unesco na Bahia para o programa “Mais Educação”.

Fonte: Secom

OUTRAS NOTÍCIAS