Quero lutar, quero resistir/por Antonio Rosevaldo

Antonio Rosevaldo Ferreira - ProFessor da UEFS

Hoje eu acordei com o mesmo sentimento de ontem, chega de arrancarem meus direitos, quero lutar , quero resistir.

Todas as crises econômicas são resolvidas jogando no colo do trabalhador, a conta a ser paga.

Assim nos empurram as reformas da previdência desde o FHC, nos empurram a retirada de direitos trabalhistas, agora querem uma outra reforma administrativa.

E sempre com a chantagem do emprego , ou aceitamos ou perderemos nossos empregos.

E estes continuam desaparecendo e nós vamos aceitando e nossos direitos desaparecendo.

O que nos difere da escravidão?

Nos entulham em ônibus superlotados e contaminados, não nos pagam, e vamos trabalhar sem salário.

Isso eu chamo de escravidão, e passiva, pois vamos aceitar enquanto ficamos postando #forabolsonaro.

Tá bom ele sai. E quem vem vai fazer diferente? Não vai manter a chibata que nos tira a honra?

Sim, pois para a classe que trabalha, receber um cobrador na sua porta é desonroso.

Estamos aceitando que nos matem, em que fase estamos diferentes da escravidão?

Porque somos livres, mas livres para que?

Produzimos uma riqueza de 8 trilhões de reais por ano e não ficamos com nada acumulado.

Reflitam.

Antonio Rosevaldo Ferreira

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

OUTRAS NOTÍCIAS