Revolta de servidor da secretaria Estadual de Educação pelo sistema PST

Bom dia, sou funcionaria em uma Escola do Estado já trabalhei no REDA por quatro anos e meio hoje estou na mesma Escola ainda como Merendeira no tal PST. Meu nome é Claudia Maria dos Santos Bastos eu e meu marido ouvimos sempre seus comentários no seu programa Primeira Pagina ou Jornal da Povo.

Sei que muitas pessoas que estão passando por essa situação que vou lhe relatar, esperam que você faça um amplo comentário sobre o mesmo. Desde já fico agradecida.

O governo da Jaques Wagner vem se arrastando por anos, e trazendo muita dor e tristeza a varias família.

Quando uma Empresa é registrada e pode funcionar dentro da Lei ela assume um compromisso com a sociedade, contrata seus funcionários e paga os seus salários no findar de cada mês, recebe aquilo que foi prometido em seu contrato de Trabalho.

Com o Governo do Estado da Bahia não e assim que funciona. Ao longo do Ano de 2013 foi feito varias promessas que uma Empresa iria contratar todos os funcionários que presta serviços a Secretaria de Educação. Secretaria essa que é a maior descumpridora das Leis Trabalhistas .

Conversando com alguns desses funcionários descobri que muitos são Informados, erroneamente sobre o PST. Eles acreditam que são Servidores Públicos e que serão Efetivados.

Como a Lei é clara e ninguém pode receber um salário mínimo abaixo do piso nacional. A Secretaria de Educação não cumpre com alei, nenhum destes funcionários receberam vale transporte, o salário é de R$ 524,00 e pago sempre com atraso um ou dois meses, teve caso que chegou a três meses de atraso. Quando se paga o transporte o funcionário fica com pouco mais de R$ 400,00.

A CLT tem uma orientação diferente. Por que o Estado não cumpre com essas exigências nos casos de Prestação de Serviço, ou quando o serviço é terceirizado com empresas que fornecem mão de obra.

Quem poderá defender esses trabalhadores que são explorados pelo Estado através de empresas contratadas por eles. Porque o pagamento dos salários atrasa tanto e dos servidores efetivos não atrasam. Todos são trabalhadores do mesmo jeito?

Essa é uma boa pergunta Claudia M. dos Santos Bastos. A resposta deve ser formulada pelo Governo do Estado.  

Fonte: Redação/Claudia M. dos Santos Bastos. .

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS