Servidores da educação cobram do poder público melhorias na área educacional em Almeirim

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Servidores têm feito várias manifestações no município desde o início da paralisação

Completando quase duas semanas em greve, os servidores da educação cobram do poder público melhorias na área educacional em Almeirim, no oeste do Pará. A categoria paralisou as atividades no dia 9 de março e desde então tem realizado manifestações no município. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores na Educação Pública (Sintepp), representantes do governo municipal demonstram inflexibilidade nas negociações.

Ainda segundo o sindicato, o ano letivo no município iniciou normalmente em 2018, e no dia 15 de janeiro foi encaminhada à prefeitura a primeira pauta de reivindicações. No dia 5 de março os profissionais deflagraram a greve e quatro dias depois paralisaram as atividades por não terem recebido posicionamento por parte do governo.

O coordenador geral do sindicato no município, Whisney Pereira Messias, informou que as principais reivindicações são: reajuste de 6,81% dado pelo piso salarial nacional; conclusão de obras e reformas em escolas, creches e quadras poliesportivas; regularização dos conselhos escolares; compra de material didático-pedagógico para as escolas; transporte e alimentação escolar.

No dia 14 de março, os servidores participaram de uma sessão na Câmara de Vereadores e pediram apoio ao poder legislativo para legitimar o direito à greve. Foi realizada uma manifestação silenciosa, na qual os trabalhadores colocaram fitas pretas nas bocas.

Com faixas, cartazes e palavras de ordem, dezenas de servidores saíram às ruas no dia 16 de março em uma nova manifestação. O ato público durou cerca de três horas e ocorreu em frente ao Ministério Público Estadual e Prefeitura.

 

Geovane Brito

 

OUTRAS NOTÍCIAS