Após Fla x São Paulo, Tite explica ideia da seleção sobre saída de bola

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Ederson goleiro da Seleção Brasileira

A seleção brasileira joga amanhã (13) pelas Eliminatórias da Copa do Mundo do Qatar, mas todos os debates esportivos do dia estão em torno das quartas de final da Copa do Brasil e principalmente do confronto entre Flamengo e São Paulo, decidido ontem aos 42 minutos do segundo tempo com uma falha do time do Rio de Janeiro na saída de bola que selou a vitória dos paulistas por 2 a 1.

No lance, o zagueiro Léo Pereira recuou para o goleiro Hugo Souza, que errou em uma tentativa de drible e perdeu a bola para Brenner fazer o gol.

Esse modelo de saída de bola que preza pela construção pelo chão e rejeita o chutão para frente é o principal tema de um debate que chegou à Granja Comary na na entrevista coletiva do técnico Tite

Mesmo sem opinar diretamente sobre o lance de Hugo Souza – que já foi convocado por ele para a seleção -, o treinador explicou como é a saída de bola que ele treina na seleção.

Segundo Tite, a ideia não é nem dar chutão e nem trabalhar curto na área sob risco de desarme. É o que ele chama de “saída sustentada”.

“Nesta iniciação tática desenvolvemos a saída sustentada, que é um termo específico. Mas foi uma pergunta específica, então vamos lá: tem, sim, essa busca de começar com o goleiro. Mas qual a ideia de sair jogando? Sempre digo que tem outras ideias e elas podem ser tão boas quanto ou melhores, mas meu objetivo é proporcionar as melhores condições para os jogadores da frente receberem a bola mais limpa e não brigada ou disputada. Assim você passa a bola a um jogador que valoriza sua técnica e vai ter tempo, com possibilidade de criatividade maior”, disse Tite, antes de completar

Ali é uma zona de segurança, então tu corre risco. Para não perder a bola neste espaço, o que tu faz?

Predominantemente a circulação da bola, mas preferencialmente uma saída pelo lado, porque te dá condição de sustentar se perder a posse de bola.”

Os três goleiros à disposição de Tite são afeitos ao jogo com os pés: Alisson (Liverpool), Ederson (Manchester City) e Weverton (Palmeiras). Amanhã, às 21h30, no Morumbi, contra a Venezuela, o titular será Ederson.

Gabriel Carneiro e Pedro Lopes

OUTRAS NOTÍCIAS