Tempo - Tutiempo.net

Brasil e Costa Rica: um zero a zero com sabor de derrota

Vinicius Júnior em Brasil e Costa Rica

O ponto de vista que apresentamos no dia de ontem (segunda-feira-24) antes da estreia da Seleção Brasileira na Copa América, as incertezas se confirmaram com a presença se três volantes diante de uma Seleção tecnicamente inferior. Não entendemos esse receio de Dorival Junior.

Muito embora ainda não esteja empolgando, a torcida se mantém fiel na esperança de mais uma conquista. É melhor não se empolgar.

A Seleção de Costa Rica colocou em prática esquema defensivo consistente, anulando completamente os projetos táticos de Dorival. A surpresa maior, ele não soube encontrar alternativas para romper a retranca do seu adversário.

Sua visão do jogo estava imprecisa, apenas uma substituição poderia ter feito a diferença se tivesse ocorrido entre dez e quinze minutos do segundo ou até mesmo no intervalo do jogo. Ela aconteceu faltando menos de dez minutos para o encerramento da partida.

Sua leitura do jogo foi imperfeita. Mudou o posicionamento de alguns jogadores e errou na substituição de Vinicius Junior, a mudança deveria ser outra.

Pudemos observar que algo não se encaixava no esquema tático de Dorival para romper a defesa da Costa Rica com jogadas bem articuladas. O tempo todo se esperava uma jogada individual que desse certo, nos minutos finais foi um desespero.

Com o futebol apresentado, nossa Seleção se fragilizada diante dos demais jogos já realizados, não estou enxergando o seu favoritismo. Mas, é possível,  com algumas mudanças e respeitando o estilo de jogo de cada um deles, poderemos ver o crescimento da Seleção.

Nada está perdido, nosso futebol é forte, criativo e se encontra entre os melhores do mundo. Basta conciliar esquemas e táticas a genialidade individual dos nossos jogadores. Estão copiando o futebol europeu e acorrentando nossas características.

Como brasileiro continuo na torcida, entretanto, não devo fugir da realidade que está sendo apresentado em campo.

Não vou analisar o desempenho individual dos jogadores, mesmo porque, alguns foram prejudicados pelo esquema tático adotado.

A competitividade está presente, mais os encaixes das peças apresentam falhas que podem ser corrigidas, será?

A invasão de técnicos estrangeiros e jogadores, estão mudando o nosso futebol. Será para melhor ou para reduzir a nossa criatividade?

Carlos Lima

OUTRAS NOTÍCIAS