Comitê Olímpico Espanhol pede adiamento das Olimpíadas

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Alejandro Blanco, presidente do Comitê Olímpico Espanhol — Foto: Oscar J. Barroso / AFP7 / Getty Images

Em uma videoconferência com outros presidentes de comitês olímpicos realizada nesta terça-feira, o Comitê Olímpico Espanhol (COE) considerou pedir pelo adiamento das Olimpíadas, temendo que os esportistas do país participem da competição em situação de desigualdade devido a situação do coronavírus no país.

De um dia para o outro, os casos do Covid-19 cresceram exponencialmente na Espanha, chegando a mais de 11 mil em dados da última terça. O número de mortos chega a quase 500. Segundo o comunicado divulgado pelo COE, o país já decretou estado de emergência.

– As notícias que recebemos todos os dias são desconfortáveis para todos os países do mundo, mas para nós, o mais importante é que nossos atletas não podem treinar e celebrar os Jogos em condições desiguais. Queremos que as Olimpíadas aconteçam, mas com segurança – defende Alejandro Blanco, presidente do comitê espanhol.

A Espanha está em quarentena desde o domingo. Os moradores só podem deixar suas casas para comprar remédios, mantimentos, ou ir ao hospital. As multas para quem sai das residências sem um bom motivo podem chegar a 600 mil euros, situação que também atinge os atletas que vivem no país, como a brasileira Núbia Soares. Atleta do salto, ela precisou montar um “centro de treinamento” em seu apartamento, na cidade de Guadalajara.

– A decisão deve ser tomada pelo Comitê Olímpico Internacional depois dos relatórios da Organização Mundial da Saúde e do Comitê Organizador. Somos um país importante no mundo, e a quatro meses para os Jogos, nossos atletas não conseguem chegar em condições iguais – afirmou o presidente do Comitê Olímpico Espanhol.

A brasileira Núbia Soares (à dir.) com a cubana Yariadmis Arguelles treinando nas ruas de Guadalajara, na Espanha — Foto: Arquivo pessoal
A brasileira Núbia Soares (à dir.) com a cubana Yariadmis Arguelles treinando nas ruas de Guadalajara, na Espanha — Foto: Arquivo pessoal

Jogos estão mantidos

Ainda nesta terça-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI) já havia emitido um comunicado oficial garantindo o compromisso de realizar as Olimpíadas de Tóquio na data planejada, entre 24 de julho e 9 de agosto.

– A saúde e o bem-estar de todos os envolvidos nos preparativos para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 são a nossa principal preocupação. Todas as medidas estão sendo tomadas para salvaguardar a segurança e os interesses dos atletas, treinadores e equipes de apoio. Nós somos uma comunidade olímpica, nos apoiamos nos tempos bons e nos difíceis. Essa solidariedade olímpica nos define como uma comunidade – disse o presidente do COI, Thomas Bach.

No entanto, a decisão não é um consenso entre a própria comunidade olímpica. Membro do COI, a canadense Hayley Wickenheiser, tetracampeã olímpica de hóquei no gelo, classificou como “irresponsável” a decisão de não adiar os Jogos diante do avanço do coronavírus no mundo.

– Dizer neste momento para que os atletas sigam em frente em suas preparações é uma injustiça não só para eles como para toda a população global – criticou a ex-atleta.

 Globo Esporte

OUTRAS NOTÍCIAS