Tempo - Tutiempo.net

Flamengo usa alta qualidade contra ousadia rival e vira líder

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

O golaço de Arrascaeta foi a cereja do bolo da vitória do Flamengo por 3 a 0 sobre o Ceará, domingo, no Castelão, que deu ao Rubro-Negro a liderança do Campeonato Brasileiro – supera o Santos no saldo. O resultado foi construído com alguns sustos, mas a qualidade técnica e coletiva prevaleceram para a equipe de Jorge Jesus. Mais um obstáculo superado.

Com quase 50 mil pessoas no estádio, o Ceará se empolgou e foi para cima do Rubro-Negro, que iniciou o jogo com algumas mudanças, principalmente na defesa, e demorou um pouco para se ajustar. Enquanto isso, correu alguns riscos. Aos poucos, no entanto, a equipe cearense caiu no erro de ir de peito aberto para cima do Fla.

Os gols saíram em jogadas trabalhadas. O primeiro gol rubro-negro foi em uma jogada pouco utilizada desde que Jorge Jesus assumiu o comando. Renê cobrou lateral dentro da área para Rodrigo Caio, que mandou de cabeça para Berrío. O colombiano escorou de peito, e Pablo Marí, mais um zagueiro no ataque, acertou um belo chute de perna esquerda, no ângulo.

Lá na defesa rubro-negra, o Ceará seguia a tentativa de pressão. João Lucas, que fez sua estreia e foi elogiado por Jesus, salvou quase em cima da linha. No ataque, a qualidade técnica e coletiva prevaleceu mais uma vez. O segundo gol saiu após 20 toques e 1 minuto e 15 segundos de posse. Renê, que também se destacou com cinco roubadas de bola, levou para o meio e tocou para Gabigol, que serviu Berrío. O colombiano fez que ia cruzar e voltou a bola para o artilheiro dominar e mandar uma bomba certeira: seu 12º gol no Brasileiro, o 25º no ano.

Do banco vieram Bruno Henrique, Everton Ribeiro, Rafinha…

A cada domínio, a cada passe, a cada movimento e escolha de jogada, a superioridade coletiva e individual do Flamengo falavam mais alto e foram minando o Ceará, que lutou enquanto foi possível e teve dois gols anulados. Rodrigo Caio, Pablo Marí e Piris da Motta também fizeram bem o papel de proteção da defesa.

Pablo Marí comemora o primeiro gol do Flamengo contra o Ceará — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo
Pablo Marí comemora o primeiro gol do Flamengo contra o Ceará — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Como poupou alguns jogadores, mas os levou para o banco de reservas, Jorge Jesus ainda tinha armas na manga. E as usou. Entraram Rafinha, Everton Ribeiro e Bruno Henrique, que aumentaram ainda mais a qualidade da equipe. Quando os 15 mil rubro-negros no Castelão já gritavam “Olé”, Arrascaeta, que não fazia uma grande exibição, deu sua grande contribuição.

Mais uma vez a qualidade técnica. Rafinha chegou na linha de fundo, levantou a cabeça e cruzou a bola quase saindo da área. O uruguaio ajeitou o corpo e mandou uma bicicleta espetacular. Golaço para coroar a vitória por 3 a 0 e a liderança do Brasileiro.

Agora, a missão é outra: com vantagem após vencer por 2 a 0 no Maracanã, o Flamengo enfrenta o Internacional na próxima quarta-feira, às 21h30, no Beira-Rio, pelas quartas de final da Libertadores.

Fred Huber

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS