Ganso abre mão de R$ 56 milhões

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Ganso em ação pelo Sevilla, onde não conseguiu ser feliz até agora

A passagem de Paulo Henrique Ganso pelo Sevilla se aproxima de um final nada feliz.

O meia está sendo preterido pelo técnico Vincenzo Montella, que assumiu o comando no fim de dezembro, e ainda não entrou em campo em 2018, além de ter sido cortado da lista da Liga dos Campeões.

Para piorar, também não está sendo fácil se entender com a diretoria do clube.

Diante dessa situação negativa, Ganso pediu ao Sevilla no início do ano uma solução.

Para ter o contrato rescindido e ficar livre para se transferir, ele ofereceu abrir mão de tudo o que tem a receber até o meio de 2021, quando termina o compromisso:

A bagatela de 14 milhões de euros, o equivalente a R$ 56 milhões, na cotação atual.

A diretoria do clube pediu um tempo para pensar e em seguida recusou a proposta.

Como argumento de que seria um bom negócio para o Sevilla, os dirigentes foram lembrados de que esse valor é superior ao que pagaram para contratá-lo em 2016: 10 milhões de euros. Mas não houve convencimento.

A ideia dos espanhóis é conseguir um retorno financeiro com Ganso.

De preferência, vendê-lo por um valor próximo ao que pagaram – além de economizarem os salários -, mas eles também aceitam o empréstimo.

O Sevilla neste momento planeja negociar o meia de 28 anos com outro clube da própria Espanha na próxima janela de transferências, a partir de 1º de julho.

Porém, a última palavra será do próprio camisa 19. É ele quem vai decidir seu futuro.

O Brasil é um destino possível para Ganso, assim como os EUA e a China.

Depois de uma temporada e meia – podendo chegar a duas completas – sem conseguir ter a sequência que queria no Sevilla, ele irá em busca principalmente de respeito e de um lugar onde volte a se sentir feliz, independentemente de região do planeta.

Por conta de sua grande qualidade técnica, Ganso protagonizou alguns belos lances e chegou a ser enaltecido pela imprensa espanhola.

Por outro lado, teve dificuldades na adaptação ao futebol europeu. Ao todo, foram 27 jogos e sete gols até aqui.

Ele sofreu na tentativa de ganhar espaço com Jorge Sampaoli e depois viveu sua melhor sequência no Sevilla, sob o comando de Eduardo Berrizzo. Porém, com Vincenzo Montella, Ganso está ficando fora até do banco de reservas.

Ivan Raupp

OUTRAS NOTÍCIAS