Tempo - Tutiempo.net

O Primeiro medalhista olímpico brasileiro do skate não teve apoio da Confederação

Kelvin medalha de prata Skate

O silêncio da Confederação Brasileira de Skate (CBSk) sobre a medalha de prata de Kelvin Hoefler nos Jogos Olímpicos de Tóquio provocou questionamentos e motivou apurações na imprensa brasileira.

Bastante ativo nas redes, Duda Musa, presidente da CBSk, não havia realizado uma só postagem em seu perfil pessoal do Instagram até a noite deste domingo (25), quase 24 horas após a conquista.

Há dezenas de publicações no perfil oficial da CBSk que vendem expectativa e imagem positiva de todos os atletas brasileiros que estão competindo em Tóquio. A única exceção é justamente Kelvin Hoefler.

Durante a performance histórica de Kelvin no sábado, chamou a atenção o fato de o atleta não ter nenhum treinador em seu corner para auxiliá-lo.

O papel que caberia ao técnico da CBSk Rogério Mancha, que está em Tóquio, acabou sendo executado de improviso pela skatista Pâmela Rosa, 19, única amiga de Kelvin Hoefler.

Além de Pâmela, a esposa de Kelvin também o orientou por telefone. As imagens ganharam destaque na transmissão.

Letícia Bufoni, skatista brasileira que também competirá no Japão, foi questionada pela TV Globo sobre a ausência de comemoração após a medalha de prata de um atleta do Brasil.

Ela justificou que Kelvin “não faz parte dos mesmos rolês que a gente, ele nunca faz parte das nossas atividades”.

Fontes apuradas pelo portal UOL disseram que Letícia integra uma espécie de ‘patota’ da CBSk.

Outro membro da suposta ‘patota’ seria Felipe Gustavo, que foi eliminado em 14º nas eliminatórias e voltou para a Vila Olímpica.

Ele postou apenas uma mensagem de “parabéns” para o japonês Yuto Horigome pela medalha de ouro. Pelo Instagram, onde tem 760 mil seguidores, Felipe não citou a conquista de Kelvin.

A fala fria de Letícia Bufoni e o desprezo de Felipe Gustavo são a face visível de um racha dentro da seleção brasileira de skate.

O incômodo de Kelvin e Pâmela com a gestão da CBSk ocorre há tempos e foi reforçado durante a preparação para as Olimpíadas, quando a seleção foi treinar nos Estados Unidos.

Lá, ambos se sentiram desprestigiados na comparação com um grupo mais próximo do presidente Duda Musa que teria tido privilégios, inclusive acesso a familiares a treinadores próprios.

A gota d’água aconteceu há duas semanas, quando Kelvin e Pâmela, que já estavam concentrados com a seleção, pediram autorização para participar dos X-Games, na Califórnia, nos Estados Unidos.

O comando da confederação respondeu que os skatistas precisavam viajar todos juntos para o Japão, como time, e por isso não conseguiriam competir nos EUA.

Quando os X-Games começaram, eles ficaram sabendo que Letícia Bufoni estava lá, sem ter Pâmela ou Rayssa Leal, a outra integrante do time brasileiro de street, como adversárias. Letícia ganhou a competição e um expressivo prêmio em dinheiro.

O entendimento de que Kelvin é preterido pela confederação ficou claro em um comentário do pai do skatista no Instagram da confederação, hoje, depois da medalha:

“Será que agora vocês vão respeitar meu filho ou vão continuar a menosprezar ele [sic]? É nítido o que vocês estão fazendo. Essa medalha de prata representa todo esforço e dedicação dele. Vocês deveriam ser mais imparciais. É uma vergonha o que fazem com meu filho”, escreveu Enéas Hoefler.

Na noite deste domingo, Kelvin respondeu a fala de Letícia Bufoni sobre “não fazer parte dos roles” com os demais integrantes da seleção brasileira de skate.

“Eu sou um cara bem pacato, sou do Guarujá, sou bem quieto, eu vim aqui para ganhar medalha, vim aqui para representar o meu país. E o que eu fiz? Estou aqui por um objetivo. Eu me isolei, fato, isolei, porque eu tenho um objetivo de levar essa medalha aqui para vocês, para todos os skatistas do Brasil, que eles sim merecem isso daqui”.

Bob Burnquist

Ex-presidente da CBSk, o skatista Bob Burnquist está comentando as Olimpíadas pelo SporTV. Ele defendeu a Confederação e criticou Kelvin Hoefler após toda a polêmica.

“Acho que o skate cresceu e o megafone apareceu. A galera tem que tomar cuidado com o que fala. Todo mundo tem uma forma de agir e interagir. De repente alguma coisa que o Kelvin gostaria que fosse não foi ou algo assim. Na minha visão, é melhor andar de skate e lidar com as situações nos assuntos privados. Não precisava transpor tanta informação, mas saiu”.

Bob Burnquist renunciou a presidência da CBSk para cuidar de projetos pessoais. O atual presidente Duda Musa, apoiado por Bob, não é do skate e já trabalhou gerenciando a imagem de Neymar.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS