Oposição torceu contra, mas todos os estádios da Copa estarão prontos até dezembro

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

O governo de Dilma Rousseff está de parabéns pelo anuncio feito por meio do ministro do Esporte afirmando que todos os estádios para a Copa do Mundo de 2014 estarão prontos e serão entregues até dezembro próximo. Inclusive as seis arenas que ainda estão em obras, e têm mais de 90% delas concluídas.

Dentre elas, será entregue, também, a Arena da Baixada, em Curitiba, cujas obras foram paralisadas 3ª feira pp. por irregularidades relacionadas à segurança do trabalho. Rebelo deu a garantia durante vistoria, ontem, das obras do Parque Olímpico de Deodoro, no Rio, local das Olimpíadas de 2016.

“Os estádios estão 90%, em média, com as obras concluídas. Isto nos dá a segurança de que os teremos entregues em dezembro. Salvo, naturalmente, algum imprevisto”, ressaltou o ministro.

Quanto às Olimpíadas de 2016, Aldo destacou que as obras no Parque Olímpico de Deodoro estão dentro do cronograma. Segundo o ministro, também ali já foram vencidas importantes etapas burocráticas de licenciamento legal e ambiental.

E agora o que vai dizer a oposição?

Como fica, agora, a oposição ao PT, que dia sim e outro também, por um bom período, ficou com sua velha cantilena de que os estádios não ficariam prontos a tempo e que a Copa do Mundo do meio do ano que vem no Brasil seria um fracasso?

Cobrou, disseminou a crença de que as arenas não estariam concluídas, apostou no fracasso da realização do evento no Brasil e agora tem de engolir?

Quem sabe, agora, ela se livra do complexo de vira-latas, como definia o teatrólogo Nelson Rodrigues, e deixa de apostar no quanto pior melhor, no fracasso do Brasil… Todos os estádios estarão prontos e a Copa de 2014 – como a Copa das Confederações realizada aqui no Brasil no meio deste ano – será um sucesso.

No entanto, podemos cobrar do ministro que resolva questões como a informação e transparência sobre os custos das obras, a participação do governo (dinheiro público) nos empreendimentos, o acesso popular aos jogos, a redução do preço dos ingressos e os problemas pontuais detectados em cada estádio na Copa das Confederações.

Enfim, fazer de tudo para o sucesso de uma Copa popular, bem estruturada e informatizada que o que existe de mais moderno.     

Fonte: ZD/Redação cljornal

OUTRAS NOTÍCIAS