Tempo - Tutiempo.net

Ronaldo tem burocracia e dívidas como primeiros passos na gestão do Cruzeiro

Ronaldo compra 90% do Cruzeiro

Motivo de euforia entre os torcedores e de grande repercussão no mundo do futebol, a compra do Cruzeiro pelo ex-atacante Ronaldo Nazário, anunciada neste sábado (18), ainda depende de acertos burocráticos e demandará paciência até que seus principais efeitos práticos comecem a ser sentidos no clube mineiro.

Em meio a especulações, entrevistas do Fenômeno e de outros envolvidos no acerto já revelaram pistas sobre o que deve acontecer nos próximos meses.

Segundo anunciado pela XP Investimentos, principal mediadora do negócio, Ronaldo e o clube mineiro firmaram um protocolo de intenções para um aporte de R$ 400 milhões “ao longo dos próximos anos” na recém-criada Cruzeiro SAF.

Esta é a primeira operação realizada no Brasil sob os termos da nova lei da Sociedade Anônima do Futebol.

Primeiramente, ainda será necessário oficializar a compra, correspondente a 90% das ações do “novo Cruzeiro”.

De acordo com a XP, a operação está sujeita a algumas condições, especialmente à verificação de contratos e documentos.

O próprio Ronaldo destacou essa etapa de validação, conhecida como “due diligence”, em entrevista concedida a seu canal de transmissões ao vivo pela internet.

Esse tipo de auditoria costuma demorar alguns meses.

“Agora, depois desse anúncio, temos ainda um processo burocrático a seguir. Tem a toda a due diligence que vai ser feita no clube para a gente entender em qual situação real ele se encontra.

E, a partir daí, vamos começar a planejar o nosso trabalho”, afirmou o ex-jogador.

Após a mudança de estatuto do Cruzeiro, aprovada na sexta-feira, o advogado do clube celeste, Bruno Volpini, havia declarado em entrevista à rádio mineira Itatiaia que a conclusão de compra como essa levaria de quatro a cinco meses.

“É uma operação muito complexa. Ela demanda a discussão de cláusula por cláusula de contratos que às vezes ultrapassam cem páginas.”

Além disso, ainda segundo a rádio mineira, o fechamento do negócio depende também da aprovação de outros dois integrantes do conselho de administração da Cruzeiro SAF, e não apenas do presidente Sérgio Santos Rodrigues.

Em entrevista ao canal ESPN no sábado, o dirigente disse já considerar Ronaldo como sócio majoritário da sociedade.

“A gente acenou realmente uma proposta vinculante. O negócio está consolidado. Quando a gente fala de burocracia é essa parte jurídica. É muito contrato para fazer, pela própria natureza da SAF. Mas a intenção já está feita, a proposta é vinculante, a gente já considera o Ronaldo como majoritário. A partir de semana que vem, começa o trabalho em conjunto”, assegurou Rodrigues.

O Fenômeno também sinalizou que o trabalho se inicia “imediatamente”.

O astro desmarcou uma viagem de férias com a família para Dubai (Emirados Árabes) e prometeu estar presente em Belo Horizonte para as comemorações do aniversário de 101 de fundação do Cruzeiro, no dia 2 de janeiro.

Como o comunicado da XP já indicava, o aporte de R$ 400 milhões não será realizado todo de uma vez. Num primeiro momento, o investimento de Ronaldo, por meio de sua empresa de gestão esportiva Tara Sports, será de R$ 80 milhões. Para efeito de comparação, o clube reuniu receitas de R$ 69 milhões no primeiro semestre de 2021.

A previsão é que o montante inicial seja utilizado para sanar algumas dívidas emergenciais, tendo como principais objetivos o pagamento de salários atrasados desde outubro e o fim do “transfer ban”, sanção administrativa imposta pela Fifa que impede o clube de registrar novos atletas em razão do enorme passivo –a dívida do clube encontra-se próxima a R$ 1 bilhão.

Até o momento, o Cruzeiro já se acertou com dez reforços para a próxima temporada.

Na esfera judicial, antes da criação da SAF, a diretoria do Cruzeiro já havia se comprometido a apresentar, até janeiro de 2022, um plano de pagamento das dívidas no Tribunal Regional do Trabalho e no Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Até lá, estão suspensas as execuções em andamento contra o clube.

Na prática, isso quer dizer que o torcedor deve manter os pés no chão quanto a grandes contratações e investimentos no departamento de futebol.

O grande objetivo da equipe celeste é montar um time competitivo para garantir o retorno à primeira divisão do Campeonato Brasileiro depois de dois fracassos seguidos na Série B.

“O Cruzeiro chegou numa situação, numa dívida alta, muito ruim. Entendo todo entusiasmo com a notícia, mas a verdade é que temos muito trabalho pela frente. Não vou botar dinheiro, queimar dinheiro. A caminhada é longa”, afirmou o Fenômeno.

“O momento é terrível, mas eu vejo uma esperança no potencial que eu tenho para reverter essa situação e colocar o Cruzeiro onde ele merece estar”, acrescentou.

Segundo Rodrigues, enquanto acionista majoritário, Ronaldo também passa a estar ligado ao passivo global do Cruzeiro.

“É bom lembrar também a responsabilidade que tem pela dívida. A conta não se faz só pelo investimento, mas pela assunção de toda a responsabilidade que existe. O montante é muito maior do que o valor investido, disse à Globo. “Apesar de a dívida ficar na associação, boa parte dela está atrelada ao futebol.”

De acordo com a lei da SAF, as dívidas seguem com o clube, mas a sociedade anônima fica obrigada a repassar no mínimo 20% de suas receitas correntes mensais e 50% dos lucros, na condição de acionista, para o pagamento de débitos da associação civil.

Segundo o acordo assinado, Ronaldo fica com a operação do futebol, mas o clube mantém o patrimônio e os 10% restantes das ações, que lhe garantem uma vaga no conselho administrativo da SAF e a preservação de sua identidade.

Nomes de confiança A seu favor, Ronaldo destaca a experiência acumulada nos últimos sete anos como investidor e dirigente, primeiro no Fort Lauderdale Strikers (Estados Unidos) e depois no Valladolid (Espanha).

O Fenômeno deu diversos sinais de que pretende trazer pessoas de sua confiança para o trabalho no Cruzeiro.

No clube espanhol, por exemplo, a gestão do futebol encontra-se a cargo do ex-zagueiro Paulo André, com quem jogou no Corinthians.

“Vamos otimizar bem o grupo, contar com a expertise do Valladolid e da galera que está trabalhando comigo. Eu, na verdade, confio muito nas pessoas que escolho e que quero no projeto. Dou liberdade. O que eu faço é dar a direção do que quero no projeto. Mas sempre estou muito próximo. Isso vai acontecer aqui no Cruzeiro também”, declarou Ronaldo.

Sobre a dívida bilionária, Ronaldo também promete adotar práticas aprendidas no Velho Continente.

“Tem que ser sustentável. Vou aproveitar a experiência, com os controles financeiros que existem na Europa. Temos esse know-how conhecido do Campeonato Espanhol, que já tem as regras bem estabelecidas e o fair play financeiro. Vamos montar um modelo de gestão europeu”, projetou.

Por enquanto, o retrospecto esportivo das equipes gerenciadas pelo Fenômeno não é seu maior trunfo. O Strikers, clube do qual Ronaldo era sócio minoritário, encerrou as atividades em 2017. Já o Valladolid caiu novamente para a segunda divisão do Campeonato Espanhol, depois de três temporadas na elite sob sua gestão.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS