Doze parlamentares baianos respondem a inquéritos e ações na justiça

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

É significativo o número de deputados e senadores que respondem a 542 inquéritos e ações penais na Justiça.

O levantamento foi realizado entre 13 de junho e 14 de agosto de 2013, pela Revista Congresso em Foco revelando que quatro a cada dez parlamentares brasileiros estão pendurados no Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeita de participação em crimes.

No total, 224 deputados e senadores respondem a 542 inquéritos e ações penais na Justiça – número recorde desde março de 2004 e 17% superior à pesquisa realizada em junho do ano passado.

Da Bahia, 12 deputados respondem a ações penais ou inquéritos do Supremo: Afonso Florence (PT)

Colbert Martins (PMDB)
Félix Mendonça Júnior (PDT)
Geraldo Simões (PT)
Jânio Natal (PRP)
Luiz Argôlo (PP)
Marcos Medrado (PDT)
Nelson Pelegrino (PT)
Oziel Oliveira (PDT)
Roberto Britto (PP)
Valmir Assunção (PT)
Além do licenciado Maurício Trindade (PR), que atualmente lidera a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza de Salvador.

Dentre os partidos, a liderança é do PMDB: 54 dos seus cem congressistas estão às voltas com pendências criminais no STF.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e os deputados Paulo César Quartiero (DEM-RR) e Lira Maia (DEM-PA) são os parlamentares em pior situação atualmente, alvos de 13 acusações cada.    

Fonte: Revista em Foco/Redação

OUTRAS NOTÍCIAS