Em Julho Salvador registrou o menor número de crimes contra a vida dos últimos seis anos

Salvador teve no mês de julho o menor número de crimes violentos letais intencionais (CVLIs), que envolvem homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte, dos últimos seis anos.

Em números absolutos, foram 98 registros, contra 132 no mesmo mês de 2012, representando a preservação de 34 vidas – uma redução de CVLIs de 25,8% na capital. Já na região metropolitana a redução foi de 15,9%.

Em relação ao acumulado dos últimos sete meses (janeiro a julho), a redução de CVLIs foi de 12,1% na capital e 19,9% na região.

Os números foram divulgados nesta quinta-feira (8), durante reunião do Comitê Executivo do Pacto pela Vida, na sede do Ministério Público, no Centro Administrativo. “É uma redução significativa. Traduz o esforço em conjunto e a maturidade do Pacto pela Vida, que começamos a perceber. Vamos perseverar e manter o foco nesse trabalho”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa.

Monitoramento

Em Salvador, a Área Integrada de Segurança Pública (Aisp) CIA teve a maior redução, de cinco, em julho de 2012, para nenhum, no mesmo mês deste ano. Já na RMS, a maior redução proporcional no período foi na Aisp Pojuca/Mata de São João, de oito contra três ocorrências, comparando o mesmo período.

Conforme o levantamento, a Aisp Nordeste de Amaralina teve a maior alta, passando de um caso, em julho de 2012, para quatro, no mesmo mês deste ano. E na região metropolitana, a Aisp Dias d’Ávila apresentou o menor desempenho, de um para dois casos, também comparando o mesmo período.

O Comitê Executivo do Pacto pela Vida se reúne a cada 15 dias para monitorar as ocorrências de CVLIs nas Aisps da capital e nas sete da região metropolitana. O comitê é composto por representantes dos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo Estadual, Defensoria Pública, Ministério Público, entre outras instituições.

Integração entre os órgãos

Para o secretário estadual de Comunicação Social e coordenador do Pacto pela Vida, Robinson Almeida, “a grande virtude deste programa é a integração entre os poderes e os órgãos, fazendo um trabalho articulado para reduzir os índices de criminalidade na Bahia”.

Segundo ele, o melhor resultado desde abril de 2007 indica que a política pública de segurança, adotada pelo Estado, está no caminho certo.

“As polícias Militar e Civil têm metas definidas para que cada trabalhador possa cumprir na sua região aquele indicador previsto, e há a colaboração das áreas sociais de governo, assim como de outros poderes e órgãos, para promover uma segurança pública melhor na sociedade”.

O secretário destacou que o planejamento será continuado e reforçado. “Estamos integrando as prefeituras da região metropolitana, como as de Candeias, Lauro de Freitas e Camaçari, para complementar este trabalho policial, seja com iluminação pública, monitoramento, capinação, com um conjunto de providências na área municipal, como também a produção de programas e políticas sociais que protejam os nossos jovens, em especial”.

Um exemplo desta integração é a prefeitura de Candeias, que obteve uma redução de 22% no número de CVLIs. O prefeito, Francisco Silva Conceição, participou da reunião do Comitê Executivo do Pacto pela Vida.

“O município está colaborando, exercendo diversas ações em conjunto com a Polícia Militar. Melhoramos a iluminação pública e vamos entregar a central de videomonitoramento da cidade, com 37 câmeras, principalmente nos bairros e ruas onde há maior incidência de delitos. Tudo isso já se reflete neste resultado”.

Combate ao narcotráfico é intensificado

De acordo com o secretário da Segurança Pública, “os números apresentados hoje mostram que estamos no caminho certo, integrando outras instituições, em cima do foco principal, que é a prisão dos grandes traficantes e dos matadores relacionados a estas quadrilhas do narcotráfico. Vamos continuar nesta trajetória e esperamos fechar este mês de agosto e o ano com estes resultados positivos”.

Para Barbosa, a redução do número de CVLIs está relacionada a boas práticas em segurança pública. “Nestas reuniões do Pacto pela Vida, procuramos trazer estas boas práticas dos locais onde a redução foi maior, para que sejam ampliadas para outras áreas”. Uma destas estratégias, declarou, é a implantação de bases comunitárias de segurança.

Ele informou que a Bahia conta atualmente com 12 bases de segurança, na capital e no interior, que apresentam, em média, 40% de redução de crimes violentos contra a vida em suas áreas de atuação.

“As bases são uma estratégia muito positiva, que visa mais do que colocar policiais em áreas críticas, mas também levar outras ações que têm o propósito de tirar os jovens do caminho do narcotráfico. Teremos agora a inauguração da Base Comunitária de São Caetano, no próximo dia 14, e estamos esperando as obras ficarem prontas para inaugurar outros equipamentos na região metropolitana e no interior”.

Prevenção ao crack

A superintendente de Prevenção e Acolhimento aos Usuários de Drogas (Suprad), da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Denise Tourinho, disse que esta semana o governador Jaques Wagner formalizou, em Brasília, a adesão ao programa federal Crack – É Possível Vencer!.

“Com isso, temos a oportunidade de ampliar a rede de atenção psicossocial que vai atender a usuários de drogas em nossos municípios. Somos um dos poucos estados que implantaram uma portaria de cofinanciamento destas instituições de atendimento psicossocial. A Bahia conta também com a política estadual de combate ao uso de entorpecentes, por meio do programa Viver Sem Drogas, no âmbito do Pacto pela Vida”, ressaltou a superintendente.

Fonte: Agecom/Redação

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS