Tempo - Tutiempo.net

GOVERNISTAS DIZEM QUE OPOSIÇÃO NÃO PODE AGIR DE FORMA GOLPISTA

As declarações do deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB), concedidas em entrevista exclusiva à Tribuna da Bahia, repercutiram de forma negativa entre petistas e apoiadores da presidente Dilma Rousseff (PT).

Para o deputado estadual Zé Neto (PT) e o secretário de Relações Institucionais do Estado, Josias Gomes, a oposição tem feito declarações com cunho de golpismo e ao falar de corrupção, esquece do tempo em que esteve no poder, quando mandava “a sujeira para debaixo do tapete”.

Na entrevista, Imbassahy afirma veementemente que a presidente perdeu a autonomia e que o País está sendo comandado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), e pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB).

Petista de longa data, que se licenciou de uma vaga no Congresso Nacional para conduzir as articulações do governo de Rui Costa, o secretário de Relações Institucionais do Estado, Josias Gomes, disse que a oposição no Brasil deveria tomar cuidado com as declarações que tem feito, cuja posição tem tido um viés claramente golpista.

“Imbassahy e a oposição tem que tomar cuidados com esse viés golpista. No campo da política, o deputado tem toda legitimidade e foi eleito para fazer a oposição.”

Mas não oposição à democracia. Ele tem que fazer é oposição ao governo”, disparou Josias. Segundo o secretário, Imbassahy se engana ao achar que, com declarações como as que fez, estará abalando o governo do PT e da presidente Dilma Rousseff.

Para Josias, tais declarações raivosas são prejudiciais para a democracia e o poder político da nação.

“Se com estas falas ele acha que está enfraquecendo a presidente da República, ele está enganado. Ele enfraquece o poder político da nação, a soberania das discussões. Ele está fortalecendo nas pessoas essa visão golpista. O jogo democrático estabelece regras que, ao fugirmos dela, temos graves consequências.

E a história já mostrou isso com a ditadura militar, o golpe de 64″, destacou o secretário. Já o deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa, Zé Neto (PT), alfineta:

“Nem Imbassahy, nem o partido dele tem autoridade para falar em dificuldades por conta da corrupção e qualquer outra mazela que estejamos enfrentando. Ao contrário, o partido dele chegou aonde chegou e nunca fez nada para combater a corrupção.”

O problema agora é visível, porque grande ele sempre foi. No período de Imbassahy, tudo era feito por debaixo do pano.

A Polícia Federal tinha o rabo preso, era polícia de governo, meramente de governo, não tinha autonomia e independência. Essa política de oposição fica atrás de disse me disse”.

Fonte: Hieros Vasconcelos Rego

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS