LÍDER DO PT NA CÂMARA DIZ QUE ACM TEM MEMÓRIA CURTA

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Líder do PT Câmara de Salvador, rebate ACM

Líder do PT na Câmara Municipal de Salvador, a vereadora Vânia Galvão rebate as declarações do prefeito ACM Neto (DEM), que no evento de inauguração da nova orla do Rio vermelho, na sexta-feira (29), disse que “do lado de lá”, do PT, “é só mensalão e petrolão”.

Vânia pontua “casos de corrupção na prefeitura envolvendo sua família e aliados”, e ressalta a operação ‘Verde Limpo’; “desvios de recurso das secretárias de Saúde e Combate à Pobreza; venda de itens da merenda escolar e o caso Paupério”, que após ser denunciado pelo Ministério Público, saiu do cargo com elogios do prefeito. Elogios por que?”, questiona a vereadora.

A líder do PT afirma que “ACM Neto tem memória curta, e deve ter mais responsabilidade nas declarações, afinal a trajetória do grupo a que pertence é marcada por uma série de escândalos de corrupção”.

A vereadora cita que o presidente nacional do DEM, senador José Agripino, foi acusado de ter cobrado propina em inspeção veicular, e lembra que o ex-governador de Brasília, José Roberto Arruda, quando afiliado ao DEM, foi preso por corrupção, e disse à revista Veja que o prefeito ACM Neto recebeu dinheiro do mensalão para sua campanha em 2008.

Vânia lembra ainda “outros casos, como a renúncia do seu avô Antônio Carlos Magalhães por conta de fraudes no painel do Senado, além dos escândalos dos Grampos e da Pasta Rosa”.

A petista resgata também “os desvios de recursos nas obras do metrô de Salvador, quando estava sob a gestão de aliados de ACM Neto”, em referência ao ex-prefeito Antônio Imbassahy, que hoje é deputado federal e líder do PSDB na Câmara Federal.

“Se continuarmos, mostraremos do lado de lá casos gritantes de corrupção e o descaso com a população, que nunca contou com políticas inclusivas e de democratização de oportunidades, como as estabelecidas pelo PT. A atual gestão municipal de Salvador é reflexo disso, obras de fachadas, denominadas de requalificação, enquanto as regiões pobres sofrem com falta de pavimentação, educação, péssimas condições de mobilidade”, diz Vânia Galvão.

Assessoria

OUTRAS NOTÍCIAS