Tempo - Tutiempo.net

Missão de validação de projeto reflete compromisso com a sustentabilidade ambiental e social no Baixo Sul da Bahia

missão de validade

Nesta semana, de 10 a 14 de junho, ocorre uma missão de análise do Projeto Reflorestar e Produzir (PRP) no Baixo Sul da Bahia.

O objetivo é reconhecer e validar uma proposta de projeto com potencial para gerar 1,2 milhões de toneladas de CO2 em 20 anos, beneficiando agricultores familiares da região.

O projeto, apoiado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), envolve diversas organizações parceiras, incluindo a Cooperativa dos Representantes Comerciais Autônomos da Zona da Mata (Coopermata), o Consórcio Intermunicipal do Mosaico das APAs do Baixo Sul da Bahia (Ciapra), o Fundo Livelihoods, a União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), a Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), a Bahia Cacau, primeira fábrica de chocolate da agricultura familiar do Brasil, e a Biofábrica.

O Fundo Livelihoods, uma instituição francesa voltada para a sustentabilidade ambiental e social, estima que o projeto possa receber um investimento de 4 a 5 milhões de euros, para promover ações de mitigação das mudanças climáticas através da agricultura familiar.

A missão inclui visitas a locais estratégicos como a Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidaria da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), da marca Bahia Cacau, propriedades agrícolas em Ibirapitanga, Presidente Tancredo Neves, Teolândia, Wenceslau Guimarães e Gandu, além do Instituto Biofábrica da Bahia e a sede da Coopermata e do CIAPRA.

Cida Oliva, coordenadora executiva do Projeto Parceiros da Mata, enfatizou a importância dessa missão.

“Esta missão de reconhecimento e validação para a construção de um futuro projeto na região da Mata Atlântica,  apresenta mais uma alternativa de sustentabilidade para a agricultura familiar no Território Baixo Sul, com potencial de gerar 1,2 milhões de toneladas de carbono em 20 anos, contribuindo com as ações de mitigação das mudanças climáticas e beneficiando q agricultura familiar.

A construção por esse coletivo de organizações tendo como proponente a Unicafes, demonstra o compromisso e unidade em torno da Agricultura familiar e sustentabilidade”.

Durante a missão, as organizações envolvidas vão avaliar o potencial do projeto para promover o desenvolvimento sustentável e calcular a quantidade de carbono que pode ser gerada e negociada.

O projeto busca beneficiar cerca de cinco mil famílias, ao longo de 20 anos, com um investimento estimado em R$30 milhões.

Com informações da CAR

OUTRAS NOTÍCIAS