Pesquisa confirma que aprovação de Rui Costa é 57,1%

Governador Rui Costa

No terceiro levantamento do instituto Paraná Pesquisas junto ao eleitorado baiano, divulgado ontem, a gestão do governador Rui Costa (PT) foi avaliada positivamente por 57,1% dos entrevistados em 68 municípios espalhados por sete regiões do estado. Trata-se da primeira sondagem sobre o atual governo, sete meses após o petista assumir o cargo. De acordo com a pesquisa, 36,7% desaprovaram o governo, enquanto 6,4% não responderam.

Os números indicam que, na percepção do eleitorado, há um descolamento entre as gestões de Rui Costa e Dilma Rousseff. Com a imagem abalada por escândalos de corrupção e pelas crises política e econômica, a administração da presidente foi bem avaliada por apenas 13,2% dos baianos, enquanto o índice de reprovação foi 84,4%. Percentual considerado alto para um reduto do partido.

O instituto também mediu o grau de satisfação dos eleitores em relação à expectativa que tinham sobre o governo Rui Costa. Indagados se achavam a atuação do petista acima, abaixo ou dentro do que esperavam, a maioria, 55%, considerou a performance do governador igual ao imaginado. Para 19,7%, a administração é pior do que pensavam, enquanto 18,6% acreditam que ela é melhor.

Os resultados por gênero apontam que a avaliação positiva do governo estadual é maior com o eleitorado masculino. No total, 58,6% dos homens aprovaram a administração, índice ligeiramente superior ao das mulheres, que foi de 55,7%. Por consequência, a taxa de reprovação do petista, entre eles e elas é de 34,7% e 38,2%, respectivamente.

Por idade, o governador se saiu melhor com eleitores de 45 a 59 anos, faixa em que foi bem avaliado por 62,6% dos entrevistados. Nas outras quatro, os percentuais são muito próximos: 56,8%, dos 16 aos 24; 54,5%, dos 25 aos 34; 56,9%, dos 35 aos 44; e 54,6%, a partir dos 60 anos de idade.

Demandas
O instituto mapeou ainda a opinião dos eleitores baianos sobre os maiores problemas do estado atualmente. No ranking, elaborado a partir de respostas concedidas de forma espontânea, a saúde ocupa o primeiro lugar isolado. No total, 35,1% dos entrevistados citaram a área. Em segundo lugar vem a segurança pública, escolhida por 22,6% dos baianos.

Em terceiro e quarto estão duas áreas que têm relação direta com a crise enfrentada pelo governo Dilma Rousseff. Para 14,3% dos baianos, o desemprego é o maior problema do estado, enquanto outros 9,3% apontaram a corrupção. Em seguida vem educação (5,4%), drogas (2,7%) e situação econômica (2,5%).

O Paraná Pesquisas entrevistou 1.284 eleitores dos dias 21 a 26 de julho. O grau de confiança do levantamento é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais.

Secom/Bahia

governoeleicao

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS