Tempo - Tutiempo.net

PT escolhe secretário de Educação para disputar governo na Bahia

Jerônimo Rodrigues candidato ao governo da Bahia pelo PT

O PT decidiu lançar o secretário de Educação da Bahia, Jerônimo Rodrigues, como candidato ao governo do Estado.

A candidatura deve ser oficializada em reunião do diretório estadual do PT, prevista para este sábado, 12.

Rodrigues sempre foi o nome da preferência do governador da Bahia, Rui Costa, depois que o senador Jaques Wagner desistiu do páreo.

O secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano, e a prefeita de Lauro Freitas (BA), Moema Gramacho, também disputavam a indicação do partido.

Setores do PT avaliam que a escolha foi uma forma de compensação ao governador, que abriu mão de disputar o Senado para cumprir o mandato até o fim. O candidato da chapa ao Senado, agora, será Otto Alencar (PSD), que vai disputar a reeleição.

Menos ligado à militância petista e sem nunca ter tido mandato, Rodrigues deve ser apresentado aos eleitores como renovação, diante do natural desgaste de imagem do PT, que completará 16 anos à frente do governo na Bahia.

O secretário de Educação se aproximou de Costa ao coordenar as campanhas dele ao governo, em 2014 e 2018.

O desafio do PT será conseguir unidade na base aliada em torno da indicação de Rodrigues.

Costa e Wagner tentam debelar uma crise com o Progressistas, que ameaça desembarcar do grupo para lançar candidatura própria ao governo, com apoio do presidente Jair Bolsonaro (PL), ou mesmo selar aliança com o ex-prefeito ACM Neto (União Brasil).

Nesse caso, a ideia é que o vice-governador, João Leão, seja candidato ao Senado na chapa de Neto.

Na prática, o Progressistas está descontente com o descumprimento do acordo, segundo o qual o governador da Bahia renunciaria ao mandato para ser candidato ao Senado, deixando a cadeira para João Leão.

Irritou a legenda o fato de Wagner ter anunciado a permanência de Costa no governo em uma rádio, sem antes dialogar com o Progressistas.

O grupo petista deu diferentes sinais nos últimos meses. No começo, a pré-candidatura ao governo estadual seria feita pelo ex-governador Jaques Wagner;

Rui Costa, por outro lado, manifestou interesse em disputar o Senado, o que faria com que o PSD indicasse Otto Alencar ao governo do Estado.

Otto preferiu manter a candidatura ao Congresso, o que deu ao PT a possibilidade de ter novamente o nome ao governo.

Jaques Wagner anunciou, em seguida, que não entraria na disputa ao governo do Estado antes de falar com o Progressistas.

A expectativa de Costa e Wagner, que tentam segurar o partido na base, é que uma reunião com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nos próximos dias solucione o impasse.

Nos bastidores, no entanto, a saída de Leão da base é dada como certa.

Um grande pepino para Lula descascar. Consolidada a saída dos Progressistas, será uma perda irreparável no processo eleitoral.

Bruno Luiz

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS