Rui Costa confirma que vagões do metrô estão em bom estado e não serão trocados

Mesmo que os 12 vagões da primeira etapa do metrô de Salvador tenham chegado na cidade desde 7 de novembro de 2008, e estejam sem uso, as locomotivas não precisarão ser substituídas para o início da operação, previsto pela concessionária CCR para o dia 13 de junho deste ano.

Segundo o chefe da Casa Civil, Rui Costa, “os vagões não serão trocados. Eles estão em bom estado de conservação, a grosso modo. Agora, você imagine qualquer equipamento que fique sem uso esse tempo todo, ele vai precisar de algumas peças que têm prazo de validade, não é só tempo de funcionamento”, explicou o secretário.

O secretário afirmou que apesar de ainda não haver um quantitativo, peças referentes à segurança dos veículos serão modificadas. “Os chips, alguns equipamentos eletrônicos e alguns kits de material rodante. Mas eu diria que o padrão de conservação, no geral, é bom. Não temos ainda um balanço dos itens que devem ser trocados. A equipe está fazendo a manutenção, desmontando os equipamentos, para ver o que eventualmente foi estragado com o tempo. Está sendo feito todo um trabalho de checagem, lubrificação, revisão de tudo, e só ao final desse trabalho de manutenção é que nós teremos um balanço de fato do que se precisa trocar”, observou Rui Costa.

Antes do processo licitatório o gasto do Estado com peças velhas somava R$ 15 milhões, agora, de acordo com Costa, não haverá ônus para os cofres públicos, já que o custo ficará a cargo da companhia vencedora da concorrência do sistema metroviário.

Informou ainda que, “isso fazia parte do risco que a empresa corria ao ganhar o metrô. Isso é um custo que está orçado. Eles fizeram alguma previsão para esse custo e, portanto, isso corre por conta da CCR”.

Conforme o planejamento, a fase de pré-operação será realizada de junho até setembro gratuitamente, com horários e número de passageiros limitados. Só a partir daí o trecho Lapa/Retiro poderá ser explorada comercialmente. A expectativa é a de que a rota até a Estação Pirajá (Linha 1) seja concluída em janeiro de 2015. O contrato assinado entre a CCR e o governo determina que em no máximo 42 meses o metrô chegue a Águas Claras, Cajazeiras e Lauro de Freitas.    

Fonte: Da Redação com informações da assessoria.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS