Tempo - Tutiempo.net

Rui Costa já instalou o gabinete avançado e amplia ações em cidades afetadas pelas chuvas

Gabinente de crise na OAB em Itamaraju

A estrutura que já abrigava o comando de operações do Governo do Estado na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Itamaraju, no Extremo Sul da Bahia, passou a funcionar como gabinete avançado, a partir desta terça-

feira (14). O local recebeu a visita dos secretários da Casa Civil, Carlos Mello; da Saúde, Tereza Paim; e de Promoção da Igualdade Racial, Fabya Reis; além do presidente da Conder, José Trindade.

Eles se juntaram a outros dirigentes de órgãos estaduais que atuam na região desde o início dos trabalhos da força-tarefa mobilizada por determinação do governador Rui Costa para prestar socorro às vítimas das enchentes.

O gabinete avançado concentra as ações estratégicas do governo estadual no Extremo Sul e no Sul. Além da sede da OAB, será utilizado o ginásio do Colégio São João Evangelista, que servirá como estrutura para a distribuição de comida, remédios, donativos e outros suprimentos para as cidades vizinhas atingidas pela água.

Com a estrutura institucional ainda mais próxima, o planejamento e a execução das ações emergenciais de recuperação dos municípios e de assistência à população serão reforçados.

Uma reunião entre lideranças locais da sociedade civil, políticos e representantes de comunidades definiu uma divisão de tarefas.

Foram instituídas coordenações dedicadas a diferentes áreas de atuação: saúde, limpeza e sanitização, social, logística e distribuição de alimentos. Equipamentos e produtos químicos serão providenciados para a higienização das ruas nas diferentes localidades onde os alagamentos já escoaram.

Também foram organizadas equipes para fazer o cadastramento de famílias que terão direito a doações.

“Essa mobilização é uma orientação muito firme do governador Rui Costa, no sentido de dar toda a assistência necessária às cidades atingidas por essa tragédia. Nós não vamos medir esforços e mandar tudo o que for possível para reconstruir as cidades, reestabelecer a vida das pessoas, o comércio e devolver à normalidade a essas cidades”, afirmou o secretário da Casa Civil, Carlos Mello.

A Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), por meio de sua área social, realizará o levantamento das famílias que tiveram as residências total ou parcialmente comprometidas pelas enchentes.

“É uma orientação do governador Rui Costa que trabalhemos na reconstrução e recuperação das casas que foram afetadas em toda essa região. Trabalho que será realizado também via consórcios municipais de infraestrutura”, explicou o presidente da Conder, José Trindade.

Entre as ações da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) estão o trabalho de equipes de assistência e vigilância para o monitoramento dos municípios das regiões Sul e Extremo Sul e a remessa adicional de equipamentos de proteção individual (EPIs).

Também serão entregues às cidades 60 tipos de medicamentos da atenção básica, vacinas, 5 mil testes de antígenos contra a Covid-19 e 10 mil máscaras.

O esforço visa evitar doenças, sobretudo as infectocontagiosas que costumam surgir depois de chuvas e alagamentos.

“O principal agora é salvar vidas, o resgate de pessoas adoecidas e, em contrapartida, fornecer alimentação, água e deixar o bairro saneado para que a gente consiga evitar as doenças que vão chegar”, disse a secretária Tereza Paim.

Também para prestar assistência à população atingida pelas enchentes, a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) visita comunidades tradicionais, a exemplo de indígenas, quilombolas, terreiros, ciganos e ribeirinhos.

O objetivo é fazer um diagnóstico dos prejuízos e das principais demandas das famílias.

Na segunda-feira (13) foi enviado à Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) o projeto de lei que prevê a cobrança de tarifa social para clientes privados e comerciais da Embasa afetados pelas enchentes.

Além disso, a partir desta quarta-feira (15), um posto da Desenbahia começará a funcionar em Medeiros Neto para oferecer empréstimos de até R$ 150 mil a juro zero para comerciantes que precisem de financiamento para se reerguer.

Com informaçõesa da Secom

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS