SALVADOR TEM MENOR ÍNDICE DE DENGUE EM 11 ANOS

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Esse é o mosquito criminoso

Levantamento de índice rápido para Aedes aegypti feito entre os dias 4 e 8 de janeiro revelou que o novo Índice de Infestação Predial (IIP) na capital baiana é de 1,8%.

A cada 100 imóveis visitados, menos de dois apresentaram focos do mosquito.

Apesar de a cidade ainda permanecer em estado de alerta para ocorrência de eventual epidemia das arboviroses, esse é menor indicador registrado em Salvador nos últimos 11 anos para o mês de janeiro, segundo a prefeitura.

“Atingimos um indicador histórico e estamos intensificando as ações para fechar o cerco ao mosquito, sobretudo nesse período do verão, quando a circulação de pessoas é maior na cidade. Historicamente, o mês de janeiro é o período onde o índice de infestação começa a apresentar crescimento por conta dos aspectos climáticos favoráveis para proliferação do vetor”, diz Isabel Guimarães, coordenadora do Programa Municipal de Controle do Aedes.

Ainda de acordo com a técnica, mesmo com o resultado histórico o município ainda encontra-se com um indicador acima do ideal, por isso o alerta continua e é importante que a população se mantenha vigilante e colabore com o poder público.

“O controle vetorial do Aedes é uma luta que só será vencida se houver uma cooperação entre a gestão pública e a sociedade civil. Por isso disponibilizamos uma canal telefônico, através da Central de Combate ao Aedes (3202-1808), que é utilizado exclusivamente no recebimento de denúncias de prováveis focos do mosquito”, finalizou.

Operação Carnaval

Para garantir o controle do inseto transmissor da dengue, zika e febre chikungunya, a Secretaria Municipal da Saúde montou um esquema especial para evitar uma possível epidemia durante a festa momesca.

Além das ações de rotina realizadas pelo CCZ, os agentes de combate às endemias irão realizar a inspeção e borrifação de inseticida no entorno das UPAs, bem como, nos bairros onde terão programação momesca e nos circuitos oficiais da folia.

Os profissionais também intensificarão os trabalhos educativos no aeroporto, rodoviária e ferry boat, prestando orientações a respeito de medidas de prevenção das doenças.

Equipes do CCZ estarão de plantão durante todo carnaval para realizar o bloqueio focal nas residências com suspeita de pessoas acometidas por alguma arbovirose.

OUTRAS NOTÍCIAS